20071229

A todos os que permanecem acordados

É importante saber quem somos e o que é que na verdade queremos da vida.
Por mim, não quero apenas ganhar acima dos 1.950 euros mensais ou ter um carro que custe 14.000 euros.
Quero, em grande medida, que não haja portugueses a receber 630, 730 ou 850 euros por mês; uma vez que isso não dá absolutamente para nada.
Não me basta ter uma casa de seis divisões. Quero que não haja milhares de compatriotas meus a dormir nos albergues ou debaixo das arcadas. Quero que seis ou sete por cento da população em idade de trabalhar não esteja desempregada. Quero que diminua o fosso entre os que muito têm e os que quase nada têm.
Nunca desistirei de protestar enquanto souber que há pessoas a necessitar de ir às sete horas da manhã para a porta de um Centro de Saúde a mendigar uma consulta. Que há pessoas 10 meses em lista de espera nos hospitais para ir a uma consulta de oftalmologia ou de urologia. Mais de um ano, talvez, a aguardar uma intervenção cirúrgica.
Isto não está certo; e enche-nos de vergonha. Não podemos ver ministros satisfeitos e sorridentes enquanto estas coisas acontecerem.
É urgente a justiça! Jorge Heitor

3 comentários:

Moriae disse...

Bem vindo a este cantinho, Heitor!
E sim, queremos justiça. Transparente :), diferente das mentiras que nos têm contado estes socretinos.
Cumps,
M.

Jorge Figueiredo disse...

Assino por baixo.

Boas entradas Moriae

Moriae disse...

Obrigada, Jorge! E igualmente :)