20080316

EPI DEMOS???

Imagem daqui


3 comentários:

Anónimo disse...

zézinho chavez e a paz dos cemitérios no país das maravilhas. não foi necessário recorrer à cicuta. a morte ocorreu por inanição

Anónimo disse...

Permitam-me dizer que em nada concordo com as vossas reclamações. Sou professora e mãe e considero que os professores até aqui tiveram a vida muito facilitada em termos de subida na carreira, horários e acesso à reforma. Chegou o momento em que por força das mudanças sociais que se coperam na sociedade os professores mostrem o que valem e a sua vocação de uma forma positiva, cumprindo com os seus deveres sem medos de qualquer sistema de avaliação. Quem tem vocação ensina, motiva, cumpre e não teme. Obtem bons resultados independentemente do meio social em que lecciona.

Moriae disse...

Exma sra.

tem o direito, em qualquer lado, de não concordar. Aqui, sinta-se à vontade.

E agora pergunto à colega, qual o nível de ensino que lecciona? Quantas turmas tem? Quantas horas lectivas? quantos anos de serviço? A quantos quilómetros de casa?Quais as suas habilitações literárias? Em que ano, ciclo, se encontram os filhos?

Pode considerar impertinente mas olhe que não é o objectivo.

Suponho que não está perto da crise da quase totalidade do professorado e das escolas.

O discurso é bonito mas não se adapta. Ex. não tenho medo e não sou a única. Não me ponham cromos a avaliar-me ... nem 'tias'. Façam uma avaliação a nível nacional, como que um exame e quero ver os lobbyes a pressionar para que ela não aconteça ... pois ... esta reforma é feita com perfil. Adapta-se lindamente aos bachareis, técnicos que já estão instalados e até são titulares só por serem cromos do sistema que o ME diz que não gosta ... isto entende-se? Não.