20080414

Francamente, senhores jornalistas ...


De acordo com o Jornal Público, o texto que o Pata Negra aqui publicou (Entre o entendimento e o desacordo), é do blogue Escola Revisitada.

Note-se que, a Armanda Sousa citou correctamente a sua autoria e proveniência.

Infelizmente, já nos habituamos a situações igualmente caricatas (e.g. o plágio, no Diário de Notícias e do SPGL, de um outro texto, curiosamente, do mesmo autor).

Será que há má vontade contra este blogue?




***** ADENDA*****
DIA 17 DE ABRIL DE 2008

AVISO: fomos contactados pelo jornal Público, de um modo extremamente correcto. Por distracção, o endereço do blogue foi trocado e esse engano até foi alvo de uma anotação em 'O Público errou' de hoje.

Um bem-haja à equipa do jornal, nomeadamente à Teresa Firmino e também ao Pata Negra :)

11 comentários:

Anónimo disse...

Não seria melhor estudar um bocadinho?

Aqui está matéria para quem verdadeiramente se interessa com a Escola Pública

http://www.scribd.com/doc/2172991/tmp-avaliacao-desempenho-docentes-2007PPS1

Moriae disse...

que seca ... não lhe basta andar no blogue do Paulo Guinote a repetir-se???

Anónimo disse...

Portugal tem 10,4 alunos por professor no ensino não superior.
Na União Europeiua, a média é de 19 alunos por professor.

Gato disse...

Essas estatísticas parecem-me as do David Justino... Quais são as suas fontes, Anónimo?
Se se considerarem todos (mas todos!!!) os docentes do país (com redução, desempregados, nas Dre's etc) não duvido que esse número tenha foros de real (Fontes, fontes...). Mas o real é aquilo que se vê na maioria das escolas.
Assuma-se como um cretinanónimo e estamos conversados.

Paula disse...

Certamente o jornal Público sente-se mais confortável a citar um blog chamado "Escola revisitada" do que um chamado "A sinistra Ministra"... isso é fácil de entender. Quanto ao SE de Mário Nogueira, na verdade EU NÃO ME REVEJO NO ENTENDIMENTO.

Moriae disse...

Anónimo das 22:37:

que tal 200 alunos mas estar com eles semanalmente como se fossem 260 (por ter várias disciplinas)? 8 turmas, 4 níveis e 4 anos diferentes? onde fica a sua média?

Moriae disse...

Paula, começo a notar uma certa invisibilidade credencial apesar de saber que as pessoas e entidades aqui vêm beber.
2500 pessoas por dia, a virem várias vezes ...

Não faz mal ...

JFrade disse...

O destemido anónimo é capaz de ter razão. Não imagino a que fonte foi ele «beber» esta informação mas até admito que possa ser verdadeira.
Ora pergunto: nunca ouviu o valente anónimo falar em “jobs for the boys”?
Saberá o intrépido anónimo quantos professores (da cor – rosa –, claro) estão a acotovelar-se na 5 de Outubro, na 24 de Julho, nas 5 DRE(s) e serviços afins, sem nada que fazer, sem uma secretária para ocuparem, só porque têm o cartão partidário adequado que lhes permite ficar perto de casa e não ocupar a vaga na Escola a cujo quadro pertencem mas que, raios-a-partam, fica no cu de judas? Saberá?
Estou certo que não.
Mas se nos quer comparar à média da União Europeia, porque foi logo escolher o rácio professores/alunos e não outro qualquer. Por que não o salário mínimo, o poder de compra, a Saúde, eu sei lá, centenas de exemplos. Até parece embirração!
JFrade

Alberto Cardoso disse...

Quero daqui enviar um forte e solidário abraço ao amigo Pata Negra. A descarada apropriação (leia-se roubo) dos seus textos por outros prova que estes revelam uma
perspicácia e ponderação que muito poucos conseguem. Se, numa primeira reacção, pode levar à indignação, depois deve dar um certo gozo constatar que «ilustres» colunistas se reclamem autores de textos nossos.
Alberto Cardoso

Moriae disse...

Alberto Cardoso,

transcrevo um e-mail que recebi do provedor do Diário de Notícias (a 13 de Março de 2008. Enviei e-mail a pedir retratação a 2 de Janeiro de 2008):

"Cara leitora



Prezo muito a minha palavra e não me esqueci do tema que me colocou nem da minha promessa em averiguar o que se terá passado.

A investigação não foi fácil e demorou mais tempo, porque foi preciso contar com a colaboração de vários colegas.

Apurou-se, finalmente, que o texto em causa foi publicado sob a forma de carta de um leitor, pelo que o DN não tinha forma de saber que se tratava de um plágio. Apenas se poderá, para o futuro, tomar precauções relativamente a correspondência assinada pela mesma pessoa.

Cumprimentos

Mário Bettencourt Resendes

Provedor dos leitores"

Abraço,
M.

Moriae disse...

AVISO: fomos contactados pelo jornal Público. Extremamente correctos! foi um engano por distracção (o que acontece a toda a gente) e até foi alvo de uma anotação hoje em 'O Público errou'.

Um bem-haja à equipa do jornal e ao Pata Negra :)