20080412

Notícias (espero não falhar em nada e.g. desvirtuar o que me foi dito pelo Mário)

Colegas,
o Mário Nogueira está totalmente disponível para se encontrar com os professores e conversar com eles: "esse encontro de Leiria, se tivesse sido convidado, teria estado presente e responderia a estas questões". Está receptivo a participar em um encontro. Falou-se na cidade de Coimbra.

Os protestos não vão acabar. Aliás, estará na 2ª no Porto (posso ter trocado e não ser no Porto) e 3ª ...(não me lembro onde).

Os 3 pontos da manifestação de 8 de Março, estão realizados.

Os professores contratados vão ser avaliados por relatório e assiduidade. Até aqueles que contam (este ano) com tempo de serviço inferior a 4 meses.

Os restantes professores, vão ser avaliados no próximo ano. O insuficiente não contará, caso o professor peça (... tal e tal vocês sabem) no ano seguinte. A avaliação, é como sabemos por dois anos.

Há que ter uma certa calma ... (digo eu)
Notas:
  1. Foi tudo muito rápido porque alguém ficou sem bateria e está sem carregador.
  2. Lamento imenso se me estou a esquecer de algo e caso me lembre, actualizo este post.
  3. Espero não ter percebido mal. Como já disse, sinto-me por fora ... é que ainda não tive tempo para ler o documento [imagens em baixo ou aqui no site da FENPROF] (coisa que farei de imediato).

17 comentários:

Anónimo disse...

-Bom, parece que há mais ... quem foi o senhor que leu o texto?
-Qual texto???
-Epá, não sei. Mas ...
- Quem era ele?
- Não conheço, parece que a mulher é deputada ...
-E ele?
-Não é titular, isso sei. E leva 'isso' a sério ... é aborrecido para alguns ...
- Vitorino?
- Há muitos ...

Moriae em "Tive um sonho" ou "Ouvi um passarinho" ou qualquer coisa mas ... Quem sou eu?

Anónimo disse...

Um entendimento que honra as partes. O Mário diz uma grande vitória a Ministra diz que se preparem par a avaliação. Faz sentido! Precisamos de uma Escola Pública Melhor! Preparem-se!

maria josé vitorino disse...

Dia 15, debate. Em CADA escola. Pelo que queremos. Um passo à frente. Não vacilar, e avançar em direcção a Escola Pública de qualidade, sem donos, mas com gente capaz de defender ideias e não se empatar com volteios mediáticos por mais um minuto de microfone.

Anónimo disse...

Qual vitória se vai ser implementado na íntegra o burocrático modelo de avaliação?

Moriae disse...

Anónimo das 22:49:

Não vai. O que lhe deu essa ideia?

Anónimo disse...

Para o próximo ano lectivo TODOS vão ser submetidos ao ao modelo de avaliação imposto pelo ME, sem qualquer alteração. Só em Junho ou Julho haverá reunião com os sindicatos para proceder a "eventuais" alterações.
Este ano é o modelo simplex para 7 mil professores. No próximo ano é o modelo complex para 140 e tal mil professores.

Moriae disse...

Sr/a 23:11

Tem a certeza???

Anónimo disse...

Sim. Acresce dizer que os titulares avaliadores terão remuneração extra e créditos horários para avaliarem os colegas. Foi também criado um novo escalão de topo para os Titulares.
Aliás, já há quem diga por aí que os professores recuaram por causa destas "benesses".

Anónimo disse...

Só para acrescentar que estas "benesses" já tinham sido antecipadamente propostas pelo ME em reunião com o Conselho de Escola e aos sindicatos. Se compararmos as propostas do ME e o Memorando vamos encontrar muitas semelhanças!

Moriae disse...

Sou absolutamente contra essa 'medida'. Refira-me por favor, qual o ponto do acordo onde tal está acordado (gostaria de colocar em post e não sei o acordo de cor).

bolas, hoje estou a pedir muito a quem por aqui passa. eu sei. Mas ... ajude-me, pode ser? é um dia especial cá em casa.

M.

Anónimo disse...

No imediato:

http://www.min-edu.pt/np3/1884.html

http://www.fenprof.pt/Download/FENPROF/M_Html/Mid_165/Anexos/Memorando%20entendimento.pdf

Anónimo disse...

Só para reafirmar que o ME já tinha apresentado as propostas em data anterior àquela que vem no link do ME.

Moriae disse...

"O ME apresentou ainda propostas que permitirão melhorar as perspectivas de desenvolvimento da carreira, tanto dos professores titulares como dos professores contratados. Por um lado, por meio da criação de um escalão adicional da categoria de professor titular, no topo da carreira, criando a oportunidade de progressão. Por outro, abrindo a possibilidade de todos os professores contratados, mediante avaliação, poderem ver considerado o tempo de serviço para efeitos de integração na carreira."

Mas ... isto é o site da propaganda do ME. e eu posso estar cega ... mas ... onde está isso no Memorando?

Anónimo disse...

Em relação ao novo escalão não está no memorando mas foi acordado como se pode perceber das palavras de um P.S. ferrenho como é o caso de Vital Moreira. Sei que a proposta do novo escalão foi apresentada no Conselho de Escolas.

"Acordo
"Forçada" a fazer um acordo, Maria de Lurdes Rodrigues conseguiu salvar o essencial, ou seja, o sistema de avaliação de desempenho dos professores. Alguns adiamentos e um novo escalão remuneratório foram a moeda de troca com os sindicatos. O dinheiro sempre ajuda!"
http://causa-nossa.blogspot.com/

Anónimo disse...

http://educar.files.wordpress.com/2008/04/proposta-reuniao-cne.pdf

Moriae disse...

Por acaso até está ... Veja aqui http://sinistraministra.blogspot.com/2008/04/meus-caros-j-passei-por-vrias-etapas.html ou leia o ponto 9. do dito.

Vital Moreira, não me interessa nada do que ele diga sobre educação. De resto, deixei de o ler há algum tempo. No fundo, nem nunca o devo ter lido enquanto adulta.

Anónimo disse...

Caros colegas: sinceramente não consigo entender os argumentos dos que defendem este “entendimento” pelos motivos que passo a expôr

1.salvaram-se aspectos muito pouco significativos da avaliação dos contratados ( alguém imagina que com este “clima” se iria dar insuf/regular a um contratado mesmo se avaliado na versão complex? );

2. adiou-se por 3 meses a implementação do novo modelo de gestão com alterações de última hora - Director pode ser bacharel, não titular, sem curso de administração e gestão - feitas à medida para alguns PCE´s poderem concorrer e presidir aos CP´s sendo o único professor desse órgão que não é titular (seja lá isto o que for…);

3. os sindicatos ganharam o estatuto de parceiro “pedagógico” - só lhes faltou um lugarzinho no CCAP para darem uns palpites sobre as celebérrimas orientações;

4.o modelo do 2/2008 mantém-se inalterável para o próximo ano lectivo, com todos aqueles parâmetros aberrantes e esquizofrénicos, a loucura das fichas e dos indicadores de medida surrealistas feitos à medida do ego de iluminados do CP após acordo nas costas dos professores com o PCE.

5. positivo a uniformização das 8/11 horas da componente individual que penso já existir na esmagadora maioria das escolas - as que tinham 4 Horas , os profs talvez merecessem…por serem medrosos;

6. as benesses para avaliadores e PCE´s , o 11º escalão são a cenoura na ponta do pauzinho… eu sou avaliador e não me vendo por tão pouco, demito-me! ;

7. a componente não lectiva ser usada na formação é um direito, não uma cedência;

8. o resto…enfim , parece-me muito pouco e mal articulado, a não ser que o “entendimento” contenha aspectos de estratégia ou secretos que ainda ningém me soube explicar.

Acham mesmo que isto foi uma “vitória” ou mesmo sequer um entendimento que nos é útil?

Expliquem então isso melhor.

António