20080616

DEIXA-ME RIR... POIS É, POIS É...

A anedota do dia:


Ler AQUI

Eu estarei a viver um sonho, ou será a "minha" escolinha um pesadelo? : quadros que, de tão gastos, não agarram o giz; chuva nos corredores, com bacias e tal; de Inverno, um frio de bater o dente; paredes que não vêem tinta há muitos, muitos anos; e... e... Não! Esta não é a mesma realidade. Perante isto só posso dizer:


Deixa-me Rir - Jorge Palma (clicar para ouvir)
Aqui deixo a letra para podermos todos cantar:


Deixa-me Rir

Deixa-me rir
Essa história não é tua
Falas da festa, do Sol e do prazer
Mas nunca aceitaste o convite
Tens medo de te dar
E não é teu o que queres vender

Deixa-me rir
Tu nunca lambeste uma lágrima
Desconheces os cambiantes do seu sabor
Nunca seguiste a sua pista
Do regaço à nascente
Não me venhas falar de amor

Pois é , pois é
Há quem viva escondido a vida inteira
Domingo sabe de cor
O que vai dizer Segunda-Feira

Deixa-me rir
Tu nunca auscultaste esse engenho
De que que falas com tanto apreço
Esse curioso alambique
Onde são destilados
Noite e dia o choro e o riso

Deixa-me rir
Ou então deixa-me entrar em ti
Ser o teu mestre só por um instante
Iluminar o teu refúgio
Aquecer-te essas mãos
Rasgar-te a máscara sufocante

Pois é, pois é
Há quem viva escondido a vida inteira
Domingo sabe de cor
O que vai dizer Segunda-Feira

Rui Malheiro e Tiago Leitão

3 comentários:

JSerra disse...

Força Moriae!

ramiro disse...

EXcelente poema e excelente post!
Ramiro Marques

Moriae disse...

Obrigada pela força, JSerra :)

Hurtiga, sempre no seu melhor! Excelente post!

Abraço,
M.