20081013

"acções desgarradas, sem promotores conhecidos" ???

PrtSc do Correio da Manhã online com sublinhados meus

“Estas acções desgarradas, sem promotores conhecidos, servem mais os interesses do Ministério”, disse ao CM Mário Nogueira, líder da Fenprof.

14 comentários:

ASHA disse...

É impressionante... mas como se diz, "burro velho não aprende línguas!!! ou será... "a voz do dono"???

Enfim!!!

Dia 15 lá estarei!

Moriae disse...

Obrigada ASHA, toda a ajuda é necessária agora.
Temos que optimizar este blog para o efeito, todos os contributos são muito importantes.
Abraço,
M.

Anónimo disse...

O Mário Nogueira, primeiro, que esclareça se falou em nome individual ou da Plataforma! Depois, com ou sem sindicatos, lá estaremos no dia 15 de Novembro! Lá estarei, porque mesmo sendo sindicalizada, ainda penso e decido pela minha cabeça! E não é a Fenprof, o PCP e a CGTPT que decidem se devo ou não manifestar-me! Quanto aos restantes sindicatos, talvez esteja na hora de eleger outro representante para a Plataforma! A rotatividade será suficientemente democrática para a Fenprof?!

Marta

Anónimo disse...

Deixo aqui um apelo a todos os Delegados e Representantes dos diferentes Sindicatos que, independentemente da posição oficial tomada pela Plataforma, decidam em consciência e contribuam para o êxito da Manifestação em nome dos Professores e do futuro do país! Não são apenas as cúpulas dos Sindicatos que representam os Professores. Cada Delegado, cada Representante tem a obrigação de estar lado a lado com os Professores! Terão essa coragem?

JL

touaki disse...

Os profs. vão-lhes fugir outra vez!
À última hora juntar-se-ão!
Pouco depois haverá novo "mimorando de intendimento"!
Ou será que me engano?

Moriae disse...

Touaki,

é esse o meu receio ...

Marta, infelizmente, não vejo nada de democrático na Plataforma ... Quanto a mim, os sindicatos deveriam falar per si e com seus associados.

Anónimo disse...

Daqui fala o sócio SPGL nº 070476 .
Ou se deixam de anormalidades ou a partir de Novembro deixo o sindicato.
Se pretendem cair no ridículo façam-no sozinhos!

Pedro Castro disse...

Moriae

Acabo de saber que no interior dos sindicatos existe muita tensão. Não só estão preocupados com uma possível debandada geral de professores, como existem nas discussões internas vozes dissonantes. Eu penso que funcionará o instinto de sovrevivência, pelo que, mesmo contariados, eles irão prestar apoio.
O que me preocupa é o após 15 de Novembro. Aí sim, nos bastidores eles podem outra vez dar-nos a "volta".
Logo os movimentos independentes e iniciativas individuais devem estar em permanente vigilância e desenvolver uma luta por antecipação e com imaginação.

Pedro Castro disse...

"sobrevivência" irra.

Moriae disse...

Pedro Castro,

partilho as suas preocupações ...
Já agora, gostaria muito de o convidar para integrar a equipa da Sinistra Ministra. Bem sei que dá um excelente contributo no blogue do Paulo Guinote mas gostaria que soubesse que aqui, se assim entender, é muito bem vindo.

Abraço,
M.

Pedro Castro disse...

Moriae
O prazer é todo meu!

Moriae disse...

UAU! Eis que ficamos bem mais ricos e fortes!!!
Envia-me um mail para sinistraministra@gmail.com para lhe reenviar um convite?

Que boa surpresa! Obrigada!
M.

Moriae disse...

Pedro Castro,

problemas com gmail ou pirataria ... envias um e-mail para moriae.moriae@gmail.com?

obrigada

Anónimo disse...

... a 5 de Outubro de 2006 foi notório, e ainda bem, os sindicatos em "off" mostraram-se surpreendidos com a adesão... quantos professor@s e educador@s eram quantos?

... a 8 de Março de 2008 fica o número redondo 100 000! No Terreiro do Paço, perante aquilo que se pode chamar uma "reunião geral de professor@s e educador@s" a plataforma de sindicatos, perante esse imenso mar de gente toma posição perante aqueles. A demissão da Sinistra Ministra deveria ser uma matéria que não deviam ter cedido, visto ser essa a testa de ferro colocada bem na frente da ruína em que se encontra a classe com a superior ajuda desses mesmos sindicatos. O que fizeram aqueles que deveriam defender @s professores? Foram "entender-se" com quem não deviam. Esqueceram-se de quem interessava. Assim, parece-me que a única solução será os sindicatos darem o braço a torcer a quem devem, a quem deveriam defender e ponto final! Seguramente, mesmo apesar das desconfianças nestas coisas, exemplos de receios não faltam, mas será mais positivo para os sindicatos juntarem-se aos professor@es e educador@s e pararem de dar mais terreno ainda a um governo que delapida em nome duma farsa, as espectativas de muitos.

Dia 15 de Novembro os sindicatos deveriam deixar as bandeiras em casa, deviam deixar aquelas repetitivas, cansadas e barulhentas frases para as manifestações políticas... e de uma vez por todas colocarem-se ao lado daqueles que vivem na pele a agruras das quais eles próprios são responsáveis... nunca é tarde para mudar!

Força nisso...

Se os sindicatos são necessários? São! Mas são-o ao lado dos seus...

Ora, para dia 15 nada melhor que saber afinal