20081030

REUNIÃO DOS MOVIMENTOS DE PROFESSORES COM A FENPROF

COMUNICADO DA APEDE

"A APEDE, o MUP e o PROmova reuniram-se nesta quarta-feira com membros do secretariado nacional da FENPROF. O diálogo decorreu num clima de franqueza e de abertura. Desse encontro saiu um comunicado conjunto que será, em breve, divulgado. Foi também criado um compromisso no sentido de se abrir a possibilidade de uma única manifestação em Novembro." ( Francisco Trindade)

12 comentários:

antónio disse...

muito bem

Anónimo disse...

Mas alguma vez yiveram dúvidas de que ia ser só uma? Sempre o disse aqui. Aliás onde estão os defensores assérrimos do dia 15? Já desapareceram querem ver?

isabel g disse...

Aqui está uma defensora acérrima(com C!)do dia 15, a manifestação genuína dos professores, não a manifestação divisionista dos sindicatos!
E também prefiro que haja só uma.

Anónimo disse...

Aqui está um professor aCérrimo do dia 15! Mas também prefiro que haja só uma! Se tiver que ser a 8...sem bandeiras de sindicatos, por favor! A bandeira de Portugal é a única que me move!

JL

Tiago Carneiro disse...

+ um aCérrimo...do dia 15.

...mas tb acho que a união faz a força.

Abraço
Tiago

stella maris disse...

Mais um aCérrima defensora do dia 15!!
Se chegarem a acordo para irmos a 8, irei. UEBIT!

Anónimo disse...

o que é preciso é haver acordo para que haja só UMA

Moriae disse...

Dia 15!!!! ACerrimamente!!!! :-)

Anónimo disse...

Não sejam líricos, sabem tão bem como eu que vai ser dia 8. O resto é só diversão e fazem bem divertir-se

PLima disse...

Também me identifico mais com os argumentos e a génese da manif. de dia 15. Mas reconheço que o momento reclama unidade. Se tal única manifestação se viabilizar, sem se ceder no essencial, irei ainda que seja a 8. Feitos num oito já estamos nós...

Luninha disse...

Eu preferia que a grande manifestação fosse marcada pelos professores independentes, mas seria muita ingenuidade acreditar que os sindicatos se dissolvessem nessa multidão. Porque é fundamental que a unanimidade contra a prepotência e cegueira da Ministra da Educação se expresse numa única e grandiosa manifestação sou a favor de qualquer data consensual. Nós não estamos a lutar contra os sindicatos (a gravidade da situação não o permite), estamos todos em luta contra o atentado à dignidade dos professores e em defesa da ética profissional.
Na minha escola (Portimão) há muitas inscrições para a manif de 8, embora muitos profs não sejam sindicalizados por discordância com as posições defendidas ao longo dos tempos e que muito contribuiram para o descrédito da função docente. Alguns deles nem sequer haviam participado na manif de 8 de Março. Contudo, sentiram necessidade de dizer não, publicamente pelo que todos juntos, íncluindo os sindicatos,vamos mostrar aos insensíveis, insensatos e ignorantes taxocratas que nós Combateremos a sombra.

Anónimo disse...

Colega luninha, taxocratas são o pessoal dos sindicatos que nos traem pelo menos desde 1990. Não me esqueço do 1º estatuto da carreira que nivelou por baixo a classe e pôs no papel a obrigação das 35 horas (nem Salazar se atreveu a tanto). Não me esqueço da formação contínua obrigatória a partir de 1992 que encheu os bolsos de uma série de chicos-espertos, muitos deles dirigentes sindicais. E fico-me por aqui.