20081107

???????????????????'

DECLARAÇÃO DA PRESIDENTE DO PSD
(Avaliação do desempenho dos Professores)

A avaliação dos professores é um princípio que o PSD defende intransigentemente.
Só que o modelo em vigor assenta em princípios inadequados e injustos e num esquema de tal forma burocrático e complexo que está a criar uma enorme perturbação nas escolas e a desfocar os professores da sua função essencial.
O Governo impôs um processo que tem dado origem a um clima de tensão e crispação entre todos os intervenientes, que está a prejudicar o sistema educativo.
A teimosia com que tem tratado esta questão está a afectar seriamente o que é essencial para a qualidade do ensino – a motivação dos professores.
Por isso, o PSD defende a suspensão imediata deste modelo de avaliação.
Entendemos que, desde já, se deve começar a trabalhar num novo modelo de avaliação, sério e eficaz, assente fundamentalmente em três vectores:
· A avaliação tem de ser externa, retirando das escolas e dos docentes a carga burocrática e conflitual que os desviam da sua função primordial que é ensinar.
· A avaliação tem de procurar a efectiva valorização do mérito e da excelência, devendo por isso pôr-se fim às quotas administrativas criadas por este Governo.
· E igualmente se deve acabar com a divisão da carreira docente, iníqua e geradora de injustiças, entre professores titulares e professores que acabam por ser classificados de segunda.
Insistir no actual modelo é pura perda de tempo.
Os professores não são justa e verdadeiramente avaliados e principalmente, os alunos e as suas famílias, estão a ser prejudicados com o clima de intranquilidade que se vive nas escolas.
Lisboa, 7 de Novembro de 2008
COMENTÁRIO:
Até o "cavaco seco" diz isto!
SERÁ QUE É SINCERO OU TERÁ FINS ELEITORALISTAS?


2 comentários:

Alexandre Corrupto disse...

Caríssimo, apesar de não ser professor, não sei se já alertou os seus leitores para esta questão... fica a dica: http://imhotepportugal.blogspot.com/2008/11/tecnologia-ao-servio-dos-professores.html

cumprimentos

João disse...

Este texto da MFL parece mais um decreto, tipo n/200n de qualquer coisa.