20090105

Um Ótimo 2009, seguido de Alguns Conselhos para Meninas Delicadas conseguirem atravessar o Ano em segurança

Imagem do KAOS
Em todas as Cosmologias, há sempre um Princípio e um Pai. O Pai era Cavaco, um eurocético que se meteu num Citroen reles e acabado e foi fazer rodagens para a Figueira da Foz, para imediatamente se tornar europeísta e atraiçoar Soares, o homem que assinara a Adesão, quando o Espírito Santo subitamente lhe assoprou vir ali um tufão de Fundos, e nesse tempo todo o Universo vivia imerso nas trevas dos Fundos. Com os Fundos, o Pai Nosso disse "Fiat Lux!...", e a Luz fez-se por tudo o que eram mãos de amigos e compadres. A mulher, que nunca devia ter saído de fazer cortinas, acabou num mini, para onde ia, no banco de trás, para a Católica, com o pai a fazer de "chófer". Ao fim de 10 Anos, já toda a Terra estava mergulhada num tal clima de pré-insurreição de rua que estoirou, e o Pai, cobarde e de mãos suadas, apanhou com duas valentes carimbadelas na tromba, a dizerem-lhe "NÃO" e mais "NÃO". Quanto ao resto do país, já se tornara num paraíso de consumidores de droga e suas rémoras, em certos meios conhecidos como traficantes, noutros, como membros da Ordem dos Advogados. Fátima, Futebol e o Fado atingiam os respetivos zénites, coisa nunca de antes sonhada nos tempos do Pai do Pai, o Maior Português de Sempre.
Finda a Guerra, nascera a necessidade de traficar armas, e quem trafica armas e droga necessita de novos bancos e casas caras para branquear, mas era só, como Moisés disse, o Começo, porque quando chegava o divertimento, havia que ir buscar a putalhada aos asilos, para satisfazer os caprichos das peles relaxadas e lascivas dos plutocratas da nova Cauda da Europa. As barracas enchiam-se de raças novas, escravos, fora do sistema de Segurança Social, e que construíam as Novas Pirâmides, deste Egito de Esgoto. Depois de usados, eram deitados para o cano da rua. Após um Interregno de meia dúzia de anos, e depois de percecionar a horrorosa desgraça em que isto estava mergulhado, o Guterres da Franja pôs-lhe um carimbo de "Pantano", e foi-se embora. Há países que são insuportáveis para certos caráteres.
Com a extinção destes primeiros dinossauros, começava a Idade da Tanga, coisa belíssima, inventada pela Tríade Barroso, Leite, Portas. O Portas era o único que se divertia, porque não pode haver maior fetiche para um uranista do que estar acima de todas as fardas.
Com Santana Lopes, assistimos ao primeiro golpe de estado do Período Constitucional, já que havia o risco da Classe Política ser envolvida no Escândalo Casa Pia, e houve que colocar um tampão, que conseguisse abafar tudo. Meteu-nos medo a todos, quando o seu único programa eleitoral era uma frase simples "Abafar Tudo". Mercê disso, brevemente, teremos Carlos Cruz a apresentar o "1, 2, 3, ora agora engula tudo o que faz de conta que nunca aconteceu outra vez", e Marluce, "et pour cause", substituirá Maria João Avillez nas entrevistas dos apêndices do Regime.
Depois de Sócrates já vocês sabem o resto: só doenças raras, chamadas Lurdes Rodrigues, e espécies em vias de extinção, na forma de Pargos das Finanças, e -- ó, maravilha das maravilhas!... -- um gajo com cara de cágado, que à frente da Economia, confirmou, com a entrada do Novo Acordo de 2009, que não era um Ministro, mas mesmo um... cagado.
Os conselhos são poucos e simples, e destinam-se a todas as meninas bem-aventuradas:
1) Ria-se, sempre que lhe disserem que Sócrates foi com a Câncio para Veneza: foram praticar natação, numa cidade que se afunda. Como se diz em Futebol, treinos de balneário, para depois praticarem o aprendido num país naufragado. Para as más línguas, fica a versão de que foram para Veneza praticar o coito, depois de esgotados todos os recursos masculinos da América do Sul.
2) Nos três atos eleitorais de 2009, a mensagem é simples: em vez de votar em Partidos, leia atentamente, as listas de candidatos. Mal encontre um nome suspeito numa delas, passe para o Partido do lado, e, se, depois de ter percorrido todos, só encontrar coisas duvidosas, passe uma cruz grande em cima do boletim de voto, ou grafe-lhe, caligraficamente, um carinhoso "vão à merda".
3) Como corolário do anterior, será natural que a habitual conceção do Espetro Eleitoral se esfrangalhe, e comecem a saltar da cartola distribuições de bancada que não lembrariam nem ao Menino Jesus; só deus sabe se não teremos uma Coligação de Salvação Nacional CDS/PP versus PCP, com Manuel Alegre a arrancar os cabelos e a perceber que a sua estratégia de virgem impoluta afinal cheirava tão mal como o restante esgoto. Odete Santos sorrirá, nos braços de Paulo Portas, como Vice-Primeira Ministra.
4) Haverá um poslúdio para as Europeias. O conselho, aí, é votar completa e totalmente, em branco, para que o Parlamento Europeu perceba que há um país que desapareceu do Mapa do Velho Continente. Seria adorável ver o lugar de Portugal cheio de cadeiras vazias, em Estrasburgo, mas ainda é um sonho.
5) Quando chegar a hora do rebate do homem que nunca deveria ter saído de detrás da sua marquise, de 2005, e a quem nunca deveria ter sido permitida a infâmia de deixar hastear uma bandeira de croché, no Palácio de Belém, vote na Carmelinda Pereira, pelo menos, sempre foi Professora, e já percebeu que a Política acabou.
6) Una-se em Movimentos de Protesto e Cidadania. Assine todas as petições. Atafulhe oe emails oficiais com casos que conheça. Denuncie associações mafiosas da CP, contratos do Ex-Bastonário, Germano de Sousa, com Hospitais Centrais, para assegurar "forever" (20 anos é muito tempo...) o exclusivo e o monopólio de certas análises. Sempre que houver um Presidente da ASAE vindo da Corrupção das Estradas, investigue-o, e ponha-o de quarentena.
7) Nunca vote em nenhum membro ou ex-membro do BPN, BPI, BCP, e qualquer banco ou empresa que comece por "B" ou tenha "B" no nome. São também de excluir "R" -- incluindo todos os frequentadores da "Casa dos Érres" e "Pês".
8) Pratique o protesto televisivo: corte, sempre que aparece um anúncio, e mude de canal. Vá aos livros de Manuel Alegre e rasgue a página onde está o poema que apareceu nas publicidades do BPP. Faça o mesmo, e pelas mesmas razões, a todo o lixo associado aos nomes de José Pacheco Pereira, general Vasco Rocha Vieira (ex--governador de Macau), a jornalista Maria João Avillez, o escultor João Cutileiro, o advogado Proença de Carvalho, o pintor Julião Sarmento, o músico Pedro Abrunhosa e o director das Produções Fictícias (e moderador do programa "O Eixo do Mal", da SIC-Notícias, mais ao Miguel Esteves Cardoso, Clara Ferreira Alves, Mia Couto, José Eduardo Agualusa, Agustina Bessa-Luís, Pedrito de Portugal, Ana Salazar, Maria de Lourdes Modesto, entre outros. Pode juntar a esse esterco os plágios de José Saramago, Margarida Rebelo Pinto e Sousa Tavares e outros, que agora se me falham.
9) Desligue a televisão, sempre que apareça um suspeito de crime, ou uma cara que apareceu sem justificação óbvia. Em vez disso, dirija-se para a Net, para tentar perceber de quem é, ou já foi, amante, e se pertence, ou não, a alguma das associações secretas que nos governam . Se não aparecer nada na Net, é porque é tão secreta que ele pertence mesmo. Risque-o/a do seu mapa intectual e visual.
10) Desconfie antes, durante e depois da tomada de posse de Obama. O Vice dele, John Kerry, é um habitual frequentador do Clube do Crime de Bilderberg, pelo que já se sabe quem vem mandar aí.
11) Se se sentir realmente indisposto como que o acabei de escrever, compre, pela http://www.ebay.com/, um daqueles cintos que os inocentes Palestininanos do Hamas usam para visitar as escolas israelitas, e vá à 5 de Outubro pedir um autógrafo ao Valter Lemos. Não sabe como fazer?... A parte do Ebay é fácil. Quanto a aproximar-se do Valter, faça um sorriso rasgado, abra os braços, e corra na direção dele, gritando, muito alto, "meu querido amig...
BUUUUUUUM!!!!!!!!"


(Estrela dos Três Reis Magos, no "Arrebenta-SOL", no "A Sinistra Ministra", no "Democracia em Portugal", no "KLANDESTINO", e em "The Braganza Mothers")

2 comentários:

Anónimo disse...

Adorei o artigo . Ainda há quem esteja vivo nesta república dos/das bananas.
lis

Ramiro Marques disse...

Brilhante!