20090320

Toca a ...

Fonte: Diário Digital

Agressões a professores e alunos aumentaram em 2007/08
"O número de agressões a professores e alunos aumentou 11,3 e 20,6 por cento respectivamente em 2007/08, face ao ano lectivo anterior, segundo dados do programa «Escola Segura» hoje apresentados." (idem)

Precisaremos de nos organizar em missões de vigilância ??? Hoje faltas tu, amanhã falto eu. Hoje vigias tu ... Falhaste ...

Toca a miliciar ... mas de borla, não como o Padre Socretino!

1 comentário:

Margarida disse...

O número de agressões graves a professores e alunos aumentou no último ano lectivo, de acordo com o balanço do programa “Escola Segura”.


Os dados foram apresentados esta sexta-feira pelos ministros da Administração Interna, Rui Pereira, e da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues.

Apesar do Governo garantir que houve menos ocorrências registadas, a verdade é que foram mais graves.

O balanço do programa “Escola Segura” dá conta de 6039 ocorrências policiais - 4582 no interior das escolas, 1457 no exterior -, uma diminuição na ordem dos 14%face ao ano lectivo anterior.

Em 90% das escolas não foi registada qualquer ocorrência e deixou de haver escolas com mais do que 100 ocorrências por ano

As más notícias são que o número de escolas onde foram registadas ocorrências aumentou qualquer coisa como mais 300 escolas face ao ano anterior e que os casos graves aumentaram.

Neste capítulo, foram agredidos 1317 alunos (+ 20,6%) e 206 professores (+ 11,3%), e os furtos de equipamentos escolares aumentaram 22,5%.

Destacando praticamente apenas as boas notícias, os ministros da Educação e da Administração Interna mostram-se dispostos a continuar a investir no Programa Escola Segura, se bem que as medidas mais significativas anunciadas para este ano sejam sobretudo duas: o início da instalação de videovigilância nas escolas, agora que está finalmente adjudicado esse investimento, e a realização de auditorias de segurança nas escolas com mais de 50 ocorrências por ano.

“É necessário perceber o que se passa nestas escolas que revelam uma tão grande diferença em relação às restantes escolas”, disse Maria de Lurdes Rodrigues.

Os sindicatos do sector consideram estes números preocupantes e o CDS-PP exige a presença, com urgência, da ministra da Educação no Parlamento, para prestar esclarecimentos sobre o aumento da violência escolar registado no ano lectivo de 2007/2008.

ML/RV/Celso Paiva Sol
http://www.rr.pt/InformacaoDetalhe.aspx?AreaId=11&ContentId=280930