20091003

O meu coração é Bloquista



Imagem do KAOS

Dizem por aí algumas almas avisadas que a minha voz é de respeitável peso na Blogosfera. Não deixa de ser curioso que uma personagem de ficção ganhe densidade suficiente para se tornar numa referência, mas não é caso único na Literatura, olha o Sherlock Holmes, por exemplo... Porém, como com todos os bonecos, há dias em que estou mais cansado, e outros menos, como na desgastada metáfora do interruptor. Hoje, comovido com o discurso do Básico de Boliqueime, resolvi também vir falar-vos de coração nas mãos, e só peço que me oiçam, sem qualquer direito a perguntas, por parte dos senhores jornalistas, no período de reflexão que se vai seguir, ok?...
O meu tema são as Autárquicas, e o motivo de inspiração um cartaz que hoje vi, na minha área de voto, do "Chamuça", com a Roseta em segundo plano e o Zé-que-faz-falta em terceiro. De aí para traz, não me lembro, mas, como sou meio míope, suponho que fossem hipóstases da Irrelevância.
Meus caros leitores e leitoras, sei que vos angustia o tema das Autárquicas, e gostariam de uma chave simples para resolver a vossa indecisão. É, pois -- e guardei o meu silêncio até que se consumassem as Legislativas, para, de modo algum condicionar o vosso voto -- a altura de me pronunciar.
Enquanto, nas praias das latitudes equatoriais, pensava nos textos que iria debitar, ao longo deste árduo ano de decadência nacional, que nos aguarda, não deixei, todavia de deixar cair o importante tema da votação para o Poder Local. É, assim, nesta noite, e passada toda a agitação eleitoral, que vou fazer algo que não é comum em mim, mas que vos devo, enquanto vos de relevo na Blogosfera: confessar a minha interpretação e o sentido que deverá orientar a vossa votação do Domingo Autárquico.

Cidadãos e Cidadãs; Portuguesas e Portugueses de mais de 18 anos; mortos e vivos dos cadernos eleitorais: no Domingo, todos vós deveis votar no Bloco de Esquerda.

A sarrafada nos cornos que o Agente Técnico de Engenharia José Sócrates apanhou no passado dia 27 de Setembro deverá, pois, a bem da nação, ser prolongada neste próximo ato de meados de Outubro.
Em quinze dias, todos nós estaremos mais maduros, e cientes de que devemos afastar de tudo o que é Câmara Municipal, Assembleia, Junta de Freguesia, Esquina de Cacique, e Dobra de Dona da Rua, os elementos da Claque de Sócrates. Pode ser que assim renasça uma coisa que outrora existiu, chamada "Partido Socialista", que lá tinha os seus defeitos, mas não se atrevia à miséria a que hoje chegou.
O voto no Bloco de Esquerda é a única garantia de estabilidade no Poder Local.
Qualquer candidato do Bloco de Esquerda estará sempre pronto para ser aquele humilde Zé e Maria que farão falta ao Partido maioritário para ganhar e assegurar a condução da Autarquia. Lá se coligará como pode, e oferecerá o seu vaso ao pénis ("linga") que mais lhe estiver à mão e à boca. Eu sei que isto fará muito lembrar o "Kama-Sutra" e que assistiremos a posições de cópula nunca d'antes navegadas, coisas extraordinárias, mesmo para o Entroncamento, mas a estabilidade nacional assim o pede, e que o tem de ser tem muita força.
A força do Bloco.
Vá por mim, Cidadão e "Cidadona", e vote no Bloco de Esquerda, porque eu -- também tenho direito de ser diferente, né?... -- eu vou avacalhar a coisa da forma que sei que mais gente irá chatear e vou, muito mansamente, como se não fosse nada comigo, violinar Chopin, através de um teclado de borgas, putas e vinho verde, não..., champanhe, do bom, chamado Pedro Santana Lopes, se bem estão lembrados.

E viva o Bloco!... (vá, repitam comigo) E viva o Bloco!... Viva!...

1 comentário:

Pois é... disse...

deves estar completamente doido!
então não alinhas com o caviar do louçã? confiar no BE é um acto de loucura