20070908

Terrorismo Social

Apesar de já ter publicado este texto do Público noutro blogue acho que aqui fica melhor...

Um total de 47.977 tentaram a sorte e candidataram-se a um contrato numa escola. Mas mais de 90 por cento não conseguiram nesta fase um lugar para dar aulas. As listas de colocação de contratados foram publicadas ontem à noite. E revelam que só 3252 professores obtiveram um horário completo; 44.725 não conseguiram.

in Público

3 comentários:

Moriae disse...

Bem-vindo, PB!!!
E sim, li esse texto no teu blogue Tónica Dominante e de facto, merece ser publicado em todos os lugares que, como os nossos, mostram um olhar atento e humano sobre estas questões.
Grande abraço e obrigada por teres aceitado o convite :)

pb disse...

Eu é que agradeço!

Anónimo disse...

Hoje em dia há explicação para tudo e, em política, fiscalidade, economia, etc... nada se faz por acaso.
Os números, neste caso de professores colocados, estão, evidentemente, relacionados com as vagas existentes, vagas estas que sofreram uma grande alteração, por perda de regalias dos professores do quadro definitivo, titulares incluídos:
- os 2 tempos de redução para horários do secundário (não sei os números, alguém deve saber, mas, por ex 10000 profs vezes 2 dá 20000, o que dá mil horários completos para fazer companhia aos pesadelos da dita senhora)
- os professores do quadro com 27 (26?) anos de serviço teriam, obrigatoriamente o nº máximo de tempos de redução, independentemente do escalão (e vão mais...?)
- dir de turma, delegados, coordenadores depart, dir inst, etc..., os tempos de redução de horário mudaram, para menos (e vão mais...?)
- etc


UGH