20071004

Pemçamdo ben ...

Discute-se ali a pertinência da utilização de máquina de calcular pelos alunos do ensino básico.

Sinceramente até acho que era perfeitamente escusado obrigar as pobres das crianças a saber ler e escrever. Estou seguro que está para breve a banalização de um qualquer gadget que fará essa tarefa por nós.

Eu cá, no entanto, pertenço ao grupo dos que não gostam de comida mastigada. Gosto de exercitar a dentadura, vejam bem. Se os pedagogistas – essa corja de inúteis iluminados seguidores duma ciência oculta que se baseia na redacção de tratados acerca de tudo aquilo que não se domina – pretendem produzir alunos desdentados, seguramente que esse é o caminho do sucesso.

10 comentários:

Moriae disse...

De uma lucidês esterondoza! E para os mais lentus, os bunecos agudam imençu!
Porreiro, pa!

linfoma_a-escrota disse...

lol :) nunca aprendi a tabuada e orgulho-me disso, aliás sem calculadora os alunos têm de ser mais inventivos com as cábulas isso motiva a imaginação, a capacidade de reacção sob perigo, a sociabilidade com o colega do lado e aprender a partilhar em vez de ser o otáriozinho que escnde a folha pó colega n copiar, assim é k n pode ser...


www.motoratasdemarte.blogspot.com

Anónimo disse...

A que marca de máquina de calcular se reporta este post?

Moriae disse...

AVISO: comentários como o anterior são dispensados. Sem efeitos retroactivos como as leis socretinas.
Boa nôte

Anónimo disse...

Como o comentário das motoratas passou, ainda pensei que se tratasse de política.
Política é amanhã, 5 de Outubro.

Moriae disse...

Ninguém é perfeito pa

Anónimo disse...

Pois!

Eric Blair disse...

Reporta-se à VIARCO, caro(a) anónimo(a), basta olhar com atenção.
Política hoje? Nã, hoje comemora-se a luta de galos.
Viva o regicídio.

Anónimo disse...

Pois, foi evidente a luta de galos.
A galinha e os dois pintaínhos não assistiram.

Anónimo disse...

Quem pensa, pensa.