20080131

Professor?

Já professor não sou!... Na escola escura
Minha vocação acabou desfeita em vento...
Não resisti à ministra! Esse tormento
Pesa na afronta, de cabeça dura.

Reconheço agora já quão vã figura
Em prol da educação fiz da vida intento.
Mulher cruel!... Tivera merecimento,
Se um raio lhe caísse e ficasse sem cura!

Não me arrependo; a sala que me ouvia
De gozo e que me dava a mocidade,
Que eu ensinava e com gosto ouvia.

Outro homem sou... Uma nulidade!
Falhei!... Oh! Se aprendeste, gente ímpia,
Esquece as minhas aulas, cala a mediocridade!

3 comentários:

Margarida disse...

Vamos lá esperar ... quantos plágios se sucederão?
Abraço,
M.

Jorge Figueiredo disse...

Sublime

Aqui, http://netodays.blogspot.com/2008/01/ministra-vista-por-bocage.html, também está um poema apesar do título, com menos sonoridades bocagianas.

Moriae disse...

Jorge Figueiredo, esse que refere, é um 'must'! Acho que só neste blog, foi publicado várias vezes. É algo de magnético! LOL
O nosso Pata Negra é um criativo de categoria!
É um orgulho tê-lo na equipa (que por sinal, raramente dá sinais de vida).