20080222

Absolutamente ridículo!!!

«COMUNICADO À IMPRENSA

A CONFAP e a Plataforma de Pais pelo Ensino Especial reuniram, na passada segunda feira, dia 18 de Fevereiro, como o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, para análise das situações decorrentes pela aplicação do Decreto-Lei 3/2008, de 7 de Janeiro. Da reunião resultou claro e aceite entre as partes que:
É firme determinação do Governo implementar o modelo previsto no Decreto-Lei 3/2008 de 7 de Janeiro. É igual determinação do Governo criar as condições para que o modelo esteja implantado até ao ano de 2013.

Ninguém é obtuso a ponto de considerar com absoluta certeza que tal será conseguido até essa data, situação que nessa altura será analisada e ponderada, obviamente, pelo Governo de então.

Ninguém é igualmente obtuso a ponto de considerar com absoluta certeza que todos os alunos com necessidades educativas especiais encontram resposta no modelo previsto no Decreto-Lei 3/2008, admitindo-se a possibilidade de alguns que precisam de apoios especializados por ele não serem contemplados.

(...)

E, também, que o ME vai contar com a cooperação dos pais na sinalização de todos os casos individuais que traduzam uma incorrecta aplicação da lei ou que revelem a sua insuficiência de resposta, para tomada das medidas, respectivamente, de responsabilização e de resposta necessárias.


A Plataforma de Pais pelo Ensino Especial
O Conselho Executivo da CONFAP»


Se eu pertencesse a qualquer uma das organizações teria vergonha de andar na rua e não só ... pobres crianças ... E reparem no gosto especial em ajudar o ministério ... vigilantes? Vergonha na cara ...

2 comentários:

Anónimo disse...

Acho interessante que no meio disto ninguém fale, nem os tais prestigiados investigadores, que Mary Warnock ( que foi a impulsionadora do movimento da inclusão- o célebre Warnock Repport) tenha vindo em 2005 assinalar que a incluão não foi uma boa ideia e que os alunos com deficiência foram prejudicados.

maria

Moriae disse...

Maria,

por acaso, a malta até fala nisso ... É realmente complicado ambicionar-se uma inclusão total quando nem umas "simples" NEE as escolas não conseguem resolver (algumas escolas, espero). Penso que o que acabei de dizer até já foi escrito pelo próprio Prof. L. Miranda.
É uma questão delicada mas, quando desejamos algo para as crianças e jovens, devemos ter como meta o ideal. E depois, dentro dos possíveis, lidar com as situações. No entanto, a questão central deste desgoverno é que para eles, cerca de 90% nas crianças com NEE não terão qualquer apoio a não ser o tal individualizado e aquelas coisas de recuperação e tal ... assim, camuflam todas as questões que deveriam ser alvo de acção.
O Prof. LM Correia expõe essas questões todas. É pena que não se lhe dê mais tempo de antena e que apareçam idiotas como uns e outros que andam a lamber botas ao Ministério e a denegrir a imagem dos professores ... Ainda se soubessem do que falam ... mas não ...