20080228

Os professores estão a caminho de se tornarem os empregados domésticos dos pais

Deus nos livre desta Ministra! O DN de hoje traz mais uma má notícia para as escolas, os alunos e os professores. A Ministra da Educação ameaça estender o conceito de “escola a tempo inteiro” aos 5º e 6º anos de escolaridade. O senhor Albino, Presidente da Confap, rejubila com a medida. Com esta medida, ficamos mais perto do sonho da Confap: transformar os professores em empregados domésticos dos pais. Os alunos do 2º ciclo do ensino básico passam actualmente 39 horas por semana na escola. A dona Lurdes e o senhor Albino acham pouco. E vai daí, juntam esforços e o sonho concretiza-se: os alunos vão estar, brevemente, enfiados na escola durante 55 horas semanais, ou seja, mais 16 horas do que actualmente.
O plano é assim: depois das 17 horas, as escolas do 2º ciclo passam a oferecer mais duas horas de Actividades de Enriquecimento Curricular, onde a Ministra vai enfiar a martelo a área de projecto, a formação cívica e o estudo acompanhado. Para o senhor Albino, esta é uma boa medida. Assim, os pais podem trabalhar descansados, ir ao cinema, namorar e enfiar-se nos centros comerciais, enquanto os filhos ficam enclausurados entre quatro paredes, desafiando a paciência e a autoridade dos professores. Ninguém contesta um modelo de sociedade e de economia que impede os pais de estar com os filhos antes das 20 horas. A anomia e a anestesia deste Povo são tão grandes que poucos contestam uma sociedade que obriga as crianças a estarem 11 horas por dia na escola! Estou em crer que se quer fazer com as crianças aquilo que a economia já fez com muitos dos pais delas: embrutecê-las! É provável que a Ministra ainda tenha tempo para anunciar a suprema das medidas, a mãe de todas as reformas da Educação: as escolas públicas irão passar a funcionar em regime de internato, oferecendo uma verdadeira “escola a tempo inteiro”: 24 horas por dia de actividades lectivas, de enriquecimento curricular e de repouso. O senhor Albino ficará feliz e o Povo rejubilará. Os pais vão finalmente ver-se livres dos filhos: para sempre! E os professores verão aprovado um novo e derradeiro estatuto: o estatuto de empregados domésticos dos pais!
retirado do blog de Ramiro Marques

4 comentários:

Anónimo disse...

Artigo de Pacheco Pereira:

http://ocantinhodaeducacao.blogspot.com/

Anónimo disse...

Estamos solidários

http://inopinatum.wordpress.com/

fm disse...

Aveiro - 3000 na manif! Números da polícia!

Kaos disse...

Já me referi a este assunto que me assusta bastante. Este retirar os filhos da familia passando o estado a tratar da sua educação, formação e transformação em mão de obra barata é do mais pérfido que tenho visto. Só não concordo que isto seja feito para os pais poderem ir "curtir", mas sim para lhes poderem exigir trabalho sem horários e sem direitos. Não me parece boa idéia essa de diabolizar os pais que no fundo acabam por ser vitimas como as crianças e os professores. Unir forças e vontades é urgente.