20080329

Finlândia, razões de um sucesso




A Finlândia é o campeão do sucesso escolar desde 2003.
Os seus estudantes são os que revelam melhores resultados na literacia e estão, igualmente, nos tops da matemática e das ciências. Procurar descobrir a razão pela qual isto acontece tem feito a Finlândia palco de muitas peregrinações educacionais.
O desempenho dos professores e a qualidade da oferta educativa não são seguramente os únicos factores que explicam o “milagre” finlandês. A atitude dos pais, perante a escola/conhecimento/cultura é um factor que não deve ser subestimado: ler para as crianças, contar histórias, ir à biblioteca são actividades acarinhadas na Finlândia muito desde cedo.
Neste vídeo, do New York Times, faz-se uma muito interessante comparação entre o sistema finlandês e o americano (que em certos aspectos, é mais parecido com o nosso do que poderíamos pensar).
___________
Para saber mais sobre o "milagre" finlandês, clique aqui.

8 comentários:

maria_maia disse...

"O desempenho dos professores e a qualidade da oferta educativa não são seguramente os únicos factores que explicam o “milagre” finlandês."

totalmente de acordo


O que acontece nos outros países, não me compete pronunciar. Aquilo que aprendi no meu, foi que é habitual em Portugal analisar a escola isoladamente

mas

a escola está SEMPRE inserida num contexto social.
Ninguém deveria esquecer nem pode ignorar essa realidade.

Cada comunidade reflete-se nas suas escolas. A escola é sempre a estação terminal para onde convergem todos os defeitos e virtudes de um determinado lugar. Não é a escola que fabrica essas caracteristicas; os alunos é que importam ( como é lógico e natural ), para o seio escolar, as qualidades e virtudes de uma sociedade.

A pedagogia do sucesso está relacionada e directamente dependente desse contexto social. Daqui não há que fugir. Não é preciso fazermos estudos exaustivos. Basta pensarmos um pouco e abrirmos os olhos para chegarmos a essa conclusão.

A pedagogia do sucesso só pode triunfar numa SOCIEDADE EQUILIBRADA, onde as famílias tenham a vida bem estruturada, onde haja disponibilidade para amarem os seus filhos, enfim, onde haja UMA SOCIEDADE SAUDÁVEL e FELIZ. Só uma sociedade com essas caracteristicas dá como frutos crianças disponíveis para aprenderem.

Todos sabemos que a maioria dos nossos alunos são crianças problemáticas. São crianças a transbordarem de problemas com vivências complicadas e demasiado dolorosas. Sou testemunha e vou tentando ajudar o melhor que posso e sei. Infelizmente, porém, não tenho poderes para lhes alterar a vida familiar e/ou social

Não há pedagogias milagrosas nem os professores ao tomarem posse ficam investidos de varinhas nágicas...

A batalha do insucesso escolar tem muitas frentes de combate.
Eliminem-se as causas que os efeitos também modificar-se-ão, inevitavelmente.

Mas, enquanto continuar a miopia convenientemente instalada, os professores e a ESCOLA, continuarão a ser, isoladamente, os bodes expiatórios... até ver...

Anónimo disse...

Finlãndia?
OFC... 50 anos de investimento no processo educativo trazem resultados palpáveis. Os pais de agora foram os alunos de há 30...
BTW vejam o caso de Cuba. Desde 1960 que investem na educação e na saúde e os resultados vêm-se. Melhor SNS do mundo. Melhores faculdades públicas (dão-se ao luxo de criar faculdades de medicina nos países onde não as há). Sistema político? Nem vou discutir isso.
E ao contrário dos finns partiram do zero.
Pq não em Portugal? Pq o sistema democrático permite eleger calhordas que se perpetuam (antes que me chateiem com o assunto: Não estou a defender o sistema político cubano) e que mal se apanham no poder tudo tentam para viciar o sistema por forma a manter o status quo (o deles, entenda-se).
De quem é a culpa??? Nossa!!!
G

Anónimo disse...

DEpois de ver o Vídeo tenho que dar razão à Ministra! O que é preciso é melhorar o desempenho dos professores - avaliar é um primeiro passo mas decisivo - e criar maior selectividade na wescolha dos professores. Permito-me sugerir a leitura deste texto
http://online.wsj.com/article/SB120425355065601997.html?mod=fpa_mostpop

Anónimo disse...

Caro anónimo
Tem toda a razão.
Os professores devem ser avaliados!!
Mais!!! Deviam ser todos chibatados em cada intervalo. Quanto à sra ministra, tb tem razão: é preciso acabar com o deficit na educação (económico), para isso nada mais fácil, feche-se a escola pública.
Queremos apenas escolas privadas.
Ainda melhor: para quê educação? Para limpar, cozinhar, tratar de reformados (alemães, ingleses, dinamarqueses, finlandeses, etc.) servir às mesas, lavar, limpar sapatos, fazer camas, não é preciso nada disso. Ler; escrever o nome; pôr uma cruz; contar até dez, chega e basta. Abram-se creches (ensina-se aí o que for preciso), escolas técnicas (para aprender a bem servir), universidades só privadas e apenas para a elite.
Vá pró raio que o parta!!!
Gato
BTW é pena a Moriae ser tão honesta. Com o seu IP (anónimo) faria maravilhas...

Moriae disse...

Bem, às vezes distraio-me ;)

maria_maia disse...

O que é preciso é melhorar o desempenho dos professores - avaliar é um primeiro passo mas decisivo - e criar maior selectividade na wescolha dos professores.


este é o disco riscado, amplamente divulgado na blogosfera.


anónimo das 20:00H , quando a VERDADEIRA e SÉRIA avaliação dos professores for feita, finalmente, ficarão esclarecidas as verdadeiras causas do insucesso escolar.


Quando os vários relatórios, análises e denúncias das dificuldades e problemas reais dos alunos, que são repetida e infindavelmente feitos pelos professores, nas reuniões de Avaliação, nos Projectos Curriculares de Turma e em todos os momentos de reflexão e avaliação, forem realmente valorizados, lidos e objecto de rigorosa análise, aí, então a verdade será do conhecimento de todos, incluindo todos aqueles que ainda não a querem ver.


Quando esse momento importante acontecer, todos os ceguinhos como você, poderão constatar as verdadeiras origens do actual insucesso escolar.


Eu também anseio essa avaliação. Venha ela. È urgente!

Anseio ainda mais pelos resultados práticos, pelas consequências directas que daí surgirem, no sentido de melhorarem a vida dos portugueses, permitindo que a pedagogia do sucesso triunfe. Como professora e como cidadã deste país, desejo que esteja para bem breve esse momento!

hkt disse...

Os professores são apenas um dos factores de um processo muito mais complexo. É por isso que a sua avaliação não deve ser feita de forma "pro-activa" pois, para além das injustiças daí resultantes arriscar-nos-emos a causar mais danos reais do que melhorias estatísticas.
Uma análise séria e sem preconceitos do exemplo finlandês prova que o ambiente sócio-cultural dominante tem uma enorme importância nas aprendizagens e, que os professores são apenas UM elo (importante) em todo o processo.
Os problemas da Educação em Portugal vão muito para além da sala de aula, da Escola e do ME: situam-se, precisamente, na falta de uma atitude positiva das famílias e da sociedade em relação ao conhecimento.

maria_maia disse...

"o ambiente sócio-cultural dominante tem uma enorme importância nas aprendizagens e, que os professores são apenas UM elo (importante) em todo o processo.

Os problemas da Educação em Portugal vão muito para além da sala de aula, da Escola e do ME: situam-se, precisamente, na falta de uma atitude positiva das famílias e da sociedade em relação ao conhecimento."


nem mais!...
Subscrevo. Só não vê isto, quem não quer...