20080330

O Adeus de uma professora amiga!

(…) Continuo a pensar seriamente na possibilidade de abandonar a nossa profissão. Já comecei a ter pesadelos (e estou de férias!) e não estou para isto! A família toda sente a minha angústia e vive-a lado a lado comigo! Acabamos por sofrer todos e já ninguém concebe a ideia de manter esta situação por muito mais tempo! Vou desistir! Deixar a profissão que abracei por vocação! Por gosto! Por prazer de ensinar e de aprender! Mas agora, chega! O caos instalado, o ambiente crispado, as horas esquecidas e perdidas na escola, a passagem quase administrativa dos nossos alunos, o receio de perder a cabeça perante a falta de educação, de ser apanhada em falta na ausência de um dos milhares de papéis que me obrigam a preencher…tudo me empurra para o fim! Até a Senhora Ministra! Ou, principalmente, ela! Não tenho tempo nem de preparar as aulas como sempre fiz! Nos últimos tempos, imagina, tu que me conheces e sabes como sou organizada e como tenho brio naquilo que faço, não consigo que o dia tenha mais do que 24H e estas não me chegam para tudo o que, no momento, me exigem! A Educação deixou de se preocupar com os alunos, para se dedicar, exclusivamente, aos professores! E fiquei sem tempo para eles! E não aceito! E não quero esta vida para mim! Felizmente que os meus e os teus filhos estão criados! Penso, seriamente, na possibilidade de pedir a reforma antecipada apesar dos meus 15 anos de serviço e de apenas ter 45 de idade! Nem que seja com metade do ordenado! Não aguento mais e, felizmente, tenho outros recursos, ao contrário de muitos colegas de profissão! Preciso de paz e a minha família também! Não estou para andar irritada nem quero sair de rastos da escola! Quando sair que seja, ainda, com a cabeça levantada e a dignidade limpa! A minha decisão está tomada! Na pior das hipóteses saio em Setembro! A tua ironia não te deita abaixo mas a minha maneira de ser não me permite continuar a aturar gente doida! Nunca pensei deixar aquilo que tanto gosto de fazer, mas não vislumbro qualquer alternativa! Só nesta semana, tive conhecimento de três colegas que já pediram a aposentação, mesmo a perder dinheiro! O dinheiro não é tudo e eu hei-de sobreviver! Qualquer coisa é melhor que este calvário que amanhã, dia 31 de Março, recomeça! Espero que sejas forte e que a tua alegria se mantenha! Que resistas com aquela força que te caracteriza! Deste lado, confesso, a força da Senhora Ministra foi mais forte e vou fazer-lhe a vontade! Vou embora! (…)

Ana Laura

9 comentários:

touaki disse...

Acho que esta merece uma leitura:
http://reinodamacacada.blogspot.com/2008/03/agenda-oculta-da-educao-parte-ii.html#links

Lubartolas disse...

Em Setembro com 15 anos de serviço e 45 de idade não poderá certamente pedir a aposentação

Anónimo disse...

pede, possivelmente, uma licença sem vencimento, atestado, exoneração...qualquer coisa que lhe permita ter sossego e que eu pediria tb se tivesse outros recursos! pelos vistos o que custa é tomar a decisão!

Moriae disse...

Também achei estranho mas não estou a par. Então, mesmo que um milionésimo, a pessoa não pode pedir reforma antecipada com 15 anos de tempo de serviço?
Obrigada pelo esclarecimento. Também sinto que as pessoas nem sabem muito bem com o que contar ...

Moriae disse...

anónimo, olhe que não custa e falo por mim ... 37 anos e ao serviço desde 95... o desespero por ver uma vida futura estúpida, indigna e sem poder ensinar ...

Anónimo disse...

acho que o importante nesta mensagem é o desânimo que se sente em cada palavra. Se a colega, como diz, não tem dificuldades económicas e só lá está por amor à arte, sai quando lhe apetecer e independentemente das consequências.Parece que o importante é que não está disposta a continuar neste tipo de escola! Se todos nós, neste momento e com a situação actual, tivessemos outra forma de sobreviver, quantos ficariam?!

Moriae disse...

Sim ... é assim mesmo ...
A estes colegas e a mim própria, peço e espero calma, força para lutar um pouco mais. Confiança numa certa justiça ... que pena não ser católica ...

Brotero disse...

Não nos podemos deixar levar pelo desânimo. É necessário remar contra a maré do momento, porque a Milú, o Valter e o Sócrates não vão ficar por muito tempo. Não é preciso ir à bruxa para ver que eles vão ser corridos. O país precisa de professores dedicados e com gosto pelo ensino. É fundamental continuar a exigir os direitos que nos tiraram e lutar pela revogação destas leis idiotas que o governo e PS aprovaram.

Anónimo disse...

entao a colega nao tem direito a reforma? porque não? se trabalhou fez descontos logo tera direiro ou nao e assim.