20081031

"15 de Novembro! Unidos, pela classe, pelo ensino, pela liberdade!"

Imagem do Kaos em reposição aqui e lá! (A Maça envenenada em reposição)

"Acudam! Acudam, «acorram aos mestres, que os Sindicatos os abafam»! Longe vão os tempos em que, de sapatilhas e calças de ganga, descia eu a Sá da Bandeira, em Coimbra, dando gritos à Liberdade. Longe vai o tempo, em que eu sonhava que um grupo de pessoas da minha profissão, defenderia os meus direitos, junto do poder. Inter Sindical, Nacional Socialista, pela Democracia, pela Paz, pela Liberdade. Meu Deus, que saudades!

Alguém, por aí, ainda sabe o que é um sindicato?
Mas um Sindicato a sério. Não estas amostras de gente que diz uma coisa e nos recônditos cantos do poder assina outra, traindo aqueles que, com sacrifício, pagam as quotas e os mantêm no seu fraco poder. Há gente que vive do medo. Gostam do seu pequeno mundinho, e têm medo de pensar, porque «pensar incomoda como andar à chuva». O povo é uma força viva. O povo unido jamais será vencido, não se esqueçam. E só a palavra pode derrotar o poder das armas sindicais, tal como a cantiga «a Palavra é uma arma». E nós temos a palavra!

Bolas, colegas! Somos uma das classes mais numerosas do país! Para quê confiar nos Sindicatos que nos traem em cada reunião com a Tutela e depois nos vêm contar as coisas à sua maneira, tentando conservar o seu protagonismo? Chega de comerem todos do mesmo bolo! Queremos lutar? Façamos nós a luta! Queremos defender os nossos direitos, pois sejamos nós a defendê-los. Nunca ouviram que se queres uma coisa bem feita, faz tu? É isso mesmo. Para quê pagar as quotas a quem pretende apenas um lugar junto do poder político? Nada atemoriza mais um governo que a incapacidade de controlar as massas. Os sindicatos, são, hoje, uma forma que os governos encontraram para dar uma imagem de concertação social, controlando as bases. O pior é se as bases viram o cesto. Como é? Perde-se o controle.

Todos juntos somos uma força!
É altura de pensarmos na união, ou então, verguem-se e aceitem todas as humilhações que vos infligirem! Certos de que cada um tem o que merece! Somos os mestres, somos professores, somos a classe mais importante numa sociedade, sem nós, todos seriam iletrados. Por muito sábio e culto que sejam os pais, os filhos nascem sempre analfabetos! É altura de lutarmos e defendermos a nossa vida, a nossa profissão, os nossos direitos. Chega de tanto pisarem! É tempo de fazer ouvir a voz do bom senso, de acabar com a falácia do Sistema.

Desmascarem-se os traidores das cúpulas sindicais que nada fazem contra os verdadeiros atentados que têm sido cometidos contra a classe! Quem se importa quando um professor é ultrajado, desrespeitado, destratado? Quem se importa se somos humilhados, se nos afogam em papéis, se nos obrigam a deixar de ter vida? Nós. Apenas. E somos muitos mil. Invada-se Belém e Lisboa tremerá; invada-se a Assembleia e a Lei não passará; desfilem aos milhares e a ministra cairá. Mas façamos nós! Não deleguem! Façamos nós que trabalhamos duro, na Escola, mais de dez horas por dia!

Professores, façam ouvir as vossas palavras de ordem! Chega de brincar com a nossa dignidade! Unidos, pela classe, pelo ensino, pela liberdade! Todos em Lisboa, no dia 15!"
Umbelina Ramalho (pseudónimo)

10 comentários:

Anónimo disse...

Ao Ilídio (MUP):

A determinação e a força de vontade hão-de vir sempre ao de cima. As coisas estão a decorrer exactamente como eu previ no dia em que foi oficializada a manifestação promovida pelos movimentos independentes.
Os cordeirinhos aliados ao regime logo despoletaram com receio da acção de protesto dos professores. E não tardou nada em marcarem outra manifestação.
Agora querem dizimarem quem não esteja com eles, fazendo lembrar tempos idos cá em Portugal e lá fora, no leste, quando dominavam todo e todos.
Mas nunca nos devemos vergar; vamos demonstrar que existimos e que contamos apenas connosco; dia 15 de Novembro vamos mostrar ao país quem está com a escola pública e com o ensino em Portugal, sem favores partidários ou sindicalistas.

professora disse...

Que o dia 15 seja poderoso! Que sindicatos e ministra percebam que perderam o controlo sobre a maior e a mais culta classe profissional do país. Eles têm o poder que lhes dá o poder ; nós temos o poder que nos dá a força e a razão. Dia 15 sem medo!

karadas disse...

Imperdível. Ouçam aqui (http://ocantinhodaeducacao.blogspot.com)esta crónica de João Gobern, comentador da Antena 1, sobre os pedidos de reforma dos professores

Anónimo disse...

Se os sindicatos têm trabalhado tanto e tão bem, os professores estão a lutar porquê?! Os sindicatos dão a cara, mas às vezes mais valia escondê-la! Se os professores estão na rua e a grande maioria muito pouco satisfeita com a sua actuação, talvez seja melhor a Ondina esclarecer-se do porquê! Ou este caos instalado nas escolas não a tem afectado a si? Ou será que também assinou o Memorando com o ME?

Henrique

Moriae disse...

Anónimo 0:56,

não faz mal ... até conheço de vista as pessoas ... que figura. E depois, fiz queixinhas, enviei o link para o Gabinete Jurídico do SPRC pelo qual tenho imensa consideração.

Safira disse...

Eu também tenho uma palavra a dizer em desabono dos sindicatos. Recorri há uns 20 anos atrás a um ganineto jurídico da Fenprof, a questão era faltas injustificadas.
Foi assim: O meu filho de 6 anos; na altura, estava com uma crise de asma e teve que ser internado no Hospital D. Estefânia, a pediatra, passou-me o respectivo atestado e eu ao fim de 3 dias fui levar o atestado à escola, o qual foi recusado pelo então Presidente do Conzselho Executivo. A razão que ele apresentou para injustificar as minhas faltas e invalidar o atestado, foi que eu não tinha telefonado para a escola. Achei que estava perante uma grande injustiça.
O Gabinete Jurídico da Fenprof não foi capaz de me resolver a questão e eu fiquei com 3 faltas injustificadas no meu cadastro. Depois disto entreguei o cartão.
Tenho dito!

Moriae disse...

Safira, há 20 ainda não leccionava mas ... não deveria ser muito diferente de há 15. E realmente ... temos que avisar no dia penso eu ... agora que foram *** nessa escola, foram ...

Safira disse...

moriae

Tenho um dossier com todo o processo. Provas irrefutáveis, que talvez um dia façam parte de um livro de memórias dos meus tempos de professora... Foram maus sim, muito maus.

Deus é Grande e felizmente o meu filho hoje está bem e é um homem!

Abraço,

Safira

Moriae disse...

Safira, o mais importante é que Mãe e filho estão bem.

Sinto-me perto, apesar de não ter passado por tão grave.

E sim, há que guardar todos os documentos e papelinhos ... nem que para memória futura!

um beijinho, companheira de percurso :-)

Maria Branco disse...

Safira

A Fenprof não tem gabinete jurídico, pois é uma Federação, Se calhar não justificou as faltas ao abrigo da legislação em vigor, não sei.
Mas milagres não há.
E conheço a competência das maioria dos advogados que trabalham para os sindicados filiados na Fenprof.

Também tenho um filho asmático e tive que faltar por esse motivo e nunca tive problemas.