20071123

É tudo muito estranho ...

«A Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento Vertical de Escolas de Penacova obteve ontem, numa reunião com a directora regional adjunta de Educação do Centro (DREC), a garantia de colocação de mais um professor de ensino especial para apoio aos alunos com necessidades educativas especiais.
A redução, este ano, do número de professores de ensino especial no agrupamento, de 13 para 3, foi um dos motivos que levou a associação de pais a solicitar a reunião. De acordo com Eduardo Ferreira, presidente da associação de pais, a responsável da DREC, Cristina Dias, justificou a redução do número de docentes com a futura criação de escolas de referência, com turmas que absorverão muitas das crianças com necessidades educativas especiais. Cristina Dias adiantou também que serão celebrados protocolos com diversas instituições – com a APPACDM, no caso de Penacova –, que permitirão um maior apoio a estas crianças. Embora considerando positivos, quer a colocação de mais um docente, quer os protocolos, Eduardo Ferreira afirmou que estas medidas "não são suficientes" para garantir o apoio aos 35 alunos com necessidades educativas especiais do concelho. No mínimo seriam necessários seis professores, para darem o apoio necessário na escola, considerou.
Por resolver continua a inexistência de um psicólogo no agrupamento, que tem cerca de 1.400 alunos, bem como a falta de uma auxiliar de acção educativa na escola de Figueira de Lorvão. Mas a associação de pais recebeu da DREC a garantia de que estes assuntos estão a ser seguidos e serão resolvidos. "Se não forem, teremos que tomar outras medidas", concluiu.»

3 comentários:

coelho disse...

Conheço um caso semelhante no Agrupamento Vertical Judice Fialho - Portimão. A DREALG para além de ter diminuido o n de docentes de apoio ainda a meio do ano transferiu um docente especializado para outro agrup. da cidade. Agora perante protestos dos Encarregados de educação e professores parece que o docente vai voltar à base. Uma vergonha, se são incompetentes demitam-se.

MARIA disse...

Olá Moriae,
Efectivamente todos conhecemos situações um pouco semelhantes que tem como factor comum a injustiça e a irracionalidade com que se faz nos nossos dias a gestão do ensino em Portugal.
um bj
Maria

Moriae disse...

Para mim, a coisa é estranha dos dois lados. Se repararem, não se viram agrupamentos aflitos por causa da dita redução. Se os Executivos se tivessem juntado ou 'berrado' como tiveram que fazer os pais, a coisa não tinha chegado a este ponto.
Enfim ...
Obrigada pelo comentário Coelho, apareça sempre.
Bjo Maria!