20080316

Entrevista Correio da Manhã: Mário Nogueira


"Esta é a mais importante e a mais informativa entrevista publicada sobre as injustiças, incorrecções e trapalhadas da actual avaliação de desempenho dos professores. A entrevista é um excelente argumentário a favor das posições dos professores e de contestação ao actual modelo de avaliação de desempenho. Nela, são evidenciadas as razões pela qual NUNCA os professores poderão aceitar este modelo de avaliação!" (
Ramiro Marques, blogue Profavaliação)
[clique no título deste post para ler a entrevista na íntegra]

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá,

Eu sou pai de uma criança que, em breve, entra para o primeiro ano.
Preocupa-me a educação que lhe vou poder proporcionar.

Acho que os profesores têm de ser avaliados. Os melhores premiados e os piores penalizados.
Acho que se consideram uma classe de previligiados que nao deve prestar contas a ninguem e fazer o que bem lhes apetece.

Estao revoltados com as propostas do ministerio? Não ouvi uma única proposta alterantiva em que aceitem ser avaliados E que a avaliação tenha consequências na carreira. E tenho estado antento. Nem uma.
100.000 professores (?!) numa manifestação e nem uma proposta.

A minha pergunta é se conhece algum blogue de pais que pensem como eu.
Nesse gostava de participar.

Gostava de me juntar aqueles que estão habituados a uma vida de exigência e que apenas querem que os professores sejam, um bocadinho, responsabilizados pelo que fazem.

só um bocadinho..acham muito?

Se conhecer algum blog destes…avise.

Miguel

Moriae disse...

Cá para mim, o senhor é o próprio AA ... De qualquer modo, já lhe respondi no blogue do Daniel Oliveira (Arrastão).

Joao disse...

Miguel, leu a entrevista? Propostas é o que há mais. Talvez não fosse má ideia informar-se a sério antes de tirar conclusões.

Anónimo disse...

Senhor Moriae,

Não sei quem seja o senhor "AA".

Lamento, mas nao dedico o tempo suficiente para conhecer todos os personagems do seu imaginário.

Coloquei aqui a mesma pergunta, porque o tema é o mesmo.


E recebi a mesma resposta..nada.

Tb ja respondi. Mas, aparenttemente, a aprovação é lenta...às vezes.

Nota-se que não está habituado a ser questionado.

Diz que quer receber grelhas de avaliação..eu envio-lhe.

O que gostava de saber é o que propõe?
Apenas ataques pessoais?

Caro João,

Eu li a entrevista. O que lá diz é que a avaliação se deve reflectir na progressão dos professores, sem restrições "administrativas". Ou seja, igual a hoje.
Toda a gente é excelente.
As avaliações servem , entre soutras coisas, para premiar os "melhores" não os "bons". Se todos forem bons..então saõ apenas medianos e nao merceme reconhecimento especial.

Eu compreendo que o conceito seja estranho para quem está na redoma de vidro onde os professores estão ha tantos anos.
Mas olhe o resto do mundo vive bem com estas coisas...

Miguel

Joao disse...

Miguel, a conclusão é sua e, na minha perspectiva, abusiva. Não é isso que lá está. Sugiro-lhe uma segunda leitura, mas sem juízos formados à partida.

Moriae disse...

Não tenho a paciência do Paulo Guinote ou do Daniel Oliveira pelo que lhe vou cortar o tempo de antena por aqui.
Detesto broncos básicos. Nunca tive paciência ...
Para terminar, aceite esta confidência: - custa-me a admitir que um Bacharel de outra área venha avaliar os meus conhecimentos. Porquê? Porque é ridículo! Mas esse exemplo, é um entre muitos. E sabe que mais, não me parece que tenha lido a tal entrevista. Ou se leu, e lhe ficou o pormenor que refere, meu caro ... preocupe-se de facto com o seu filho, ou filha, já que ambos parecem uma história mal inventada.

Outro pormenor: uma das pessoas que geralmente fala como o sr. ameaçou-me com balas. Não o esqueci mas lhe garanto que a partir desse dia, comecei a ver as coisas de outro modo.

Finalmente, Moriae, latim. Loucura.