20080408

Elas andim aí!!!

Pois é...!
As inspecções nas escolas andam mesmo por aí.
Ontem, dia 7 de Abril, quando cheguei à escola, era a conversa do dia.
Segundo comentários dos colegas, foram passados a pente fino os livros de ponto. Depois, veio-se a constatar que o interesse era sobretudo as aulas de substituição e o que constava nos livros de ponto nas referidas horas.
Parece mesmo um contra senso, termos que numerar as aulas de substituição referentes às disciplinas que não estamos qualificados, mas enfim........
As preocupações maiores dos Senhores Inspectores eram saber se as aulas eram dadas dentro das salas de aula definidas, ou se pelo contrário os professores substitutos deixavam os alunos à rédea solta no Polivalente ou pela escola fora.
As aulas de substituição foram assistidas; mas quando chegou a minha vez, não entendi por que razão o Senhor Inspector não ficou para ver o que era substituir, ao que dizem ser a pior turma da escola. Só me foi perguntado se tinha material de apoio (felizmente o colega tinha deixado uma ficha de trabalho) e qual era a disciplina que eu leccionava. Iniciei a aula, entreguei a ficha, e fiz a chamada, sempre na expectativa do Senhor Inspector entrar e assistir à aula. Mas esperei em vão.
Perdi a oportunidade de in loco dizer as verdadeiras dificuldades de fazer substituição a turmas que não são nossas e em disciplinas que não temos formação. Para além disso, o Senhor Inspector perdeu a oportunidade de ver e transmitir a quem de direito, a dificuldade que existe em implementar trabalho neste tipo de aulas, bem como os comportamentos dos alunos, e a verdadeira falta de trabalho de grande parte dos alunos. Não devemos ralhar, não devemos bater, não devemos obrigar, não devemos mandar calar, não devemos obrigar a trabalhar porque os meninos podem ficar stressados, então o que fazemos Senhores Inspectores e Sra. Ministra?

7 comentários:

Moriae disse...

Teresa, ele deve saber quem tu és.

E eles deviam andar por aí todos os dias. E no fim de cada dia, deveriam entregar um relatório da actividade. que fosse acessível a todos os interessados. Sabemos que tal seria possível mas não interessa a ninguém à excepção de uns loucos que por aí andam.

Bjo amigo (espero que tenhas recebido SMS no sábado)
M.

A VERDADE ACIMA DE TUDO disse...

Eu acho que só se desinteressou de assistir a minha aula por eu ter levado os materiais ( que nem eram meus, eram do colega). O importante seria analisar que apesar dos materiais existirem os alunos não trabalham na mesma.

Moriae disse...

às tantas, teve medo ... tb deve saber que tens um blogue ;)
Não desanimes!!! Tu és uma das motivações, pela coragem, de muitas pessoas (faço parte dessa malta T.)

Anónimo disse...

são comissários politicos do largo dos ratos?

Anónimo disse...

não, não são do Largo são mesmo ratos do esgoto político em que este país se tornou.

Reparem que agora até um discurso mais à direita é mais aceitável (mas cuidado como se sabe) que esta vergonha.

O sr. que encheu os amigos com os "cobres" dos fundos comunitários não tuke nem muje... apenas disfarça, esse tipo não faz nada?

Afinal quando uns mentirosos não executam o programa eleitoral que propuseram aos eleitores, não o exectucando, estes não têm de ir para a rua?

Se o Cavaco nada diz... então que se ponham ambos na rua.

O governo não merece a confiança daqueles que votaram Sócrates por pausa de Santana...

Oh Santana és tão estúpido, conseguiste que quem deu maioria absoluta ao PS seja ainda mais estúpido que tu...

Anónimo disse...

oh otários levantai-vos!

setora disse...

Que trapalhada! Parece-me que isso não são as aulas de substiruição. Isso são as "actividades de acompanhamento educativo" que até está previsto na regulamentação não deverem decorrer no espaço sala de aula. Os alunos deveriam ser encaminhados para a biblioteca, centro de recursos, salas de estudo ou clubes que estivessem a funcionar apoiados pelo professor que estivesse de plantão. Não está prevista numeração destas aulas, nem tem que se trabalhar matéria da disciplina do professor que teve de faltar.