20080413

O acordo não deve ser assinado!

"(...) Não deveria o sindicato, antes de cantar vitória, perguntar aos professores, em nome dessa unidade e dessa luta, se gostavam e aceitavam este acordo?. (...)" (Kaos, WEHAVEKAOSINTHEGARDEN, Um simples esclarecimento)
Aí, completamente de acordo e sem qualquer hesitação ou receio de poder vir a mudar de ideias. E já disse isso (que há necessidade de estar mais perto dos professores e daquilo que pensam) a membros do meu sindicato. Bem sei que não se pode ir a todas mas ... lá está ... as consequências existem.

8 comentários:

Anónimo disse...

Como estou perturbada com este acordo que afinal é só entendimento, desatei a abrir blogs, a ler os posts e, claro, os comentários. Tão enervada estava que até deixei um comentário, eu, que até há pouco tempo ignorava soberanamente a blogosfera e nem sequer tenho e-mail, pois utilizo o do meu marido quando preciso. Por ser mais prático para mim (eu nem sei o que significa URL, palavra de honra) deixei o comentário como anónima (e pelo mesmo motivo vou tornar a fazê-lo). Qual não foi o meu espanto ao verificar que há um comentário a dizer que os anónimos não merecem confiança, etc. e tal... ó colegas: acham mesmo que a Ministra e seus apaniguados vão escrever comentários neste blog a coberto do anonimato para espalhar a confusão? Paranóia tem limites! E se há professores desapontados, é melhor ouvi-los do que perdê-los...

Anónimo disse...

Uma pergunta para reflexão:

“E porque não dar autonomia às escolas para contratarem os seus profissionais?”

Moriae disse...

anónima das 22:01:

Votos de boa estadia pela blogosfera.
Sobre a ministra e seus 'acólitos' ... espero tudo mas nada de bom.

Prefiro pessoas que se identificam com um 'nick'. Não me apetece justificar e tb ninguém me perguntou.

Moriae disse...

anónimo das 22:07

... porque se já há enorme promiscuidade ....

Penso que nem os 'tachistas', as 'choronas', as mini-saias, os lamb..., se entenderiam bem.

Para reflexão, só se for sua. bom, minha não será, certamente. OK, há mais do género a frequentar aqui o canto. Pode ser que lhes faça bem o exercício.

Paula disse...

A anónima das 22:01 passa a chamar-se Paula a partir de agora e ao anónimo das 22:07 que descobriu a pólvora seca pergunta: a palavra "clientelismo" diz-lhe alguma coisa?

Moriae disse...

Paula,

esse anónimo deixou comentário igual no blogue do Paulo Guinote. Aí assinou como Trabalhador da silva. é um dos boys da CONFAP. Aparece e repete, repete ...

Acerca dos nomes, mesmo que pseudónimos, facilitam a comunicação :)

Anónimo disse...

Resposta a "anónimo 1",

Ha uns 7 anos estive numa escola dessas em que houve existia essa "autonomia das escolas". Cerca de 80% dos professores foram "escolhidos". Era das poucas professores que entrei pelos métodos "normais".
Bem. Só faltava lamber o "cú" aos capatazes. Muitos professores adoeceram. O trabalho com os alunos era um horror. As pessoas viviam unicamente para "o parecer e bajular".

Nota: a maioria dos professores teriam que ir para a zonas muito distantes de suas casas e famílias. E fingiam. Os que não o conseguiam adoeciam. Para os alunos era terrível

O inferno na Terra. Total.
Foge "demo" para bem longe!
ana henriques

João Serra disse...

Até ao dia D será de aproveitar para negociar correctamente e assinar, porque depois a parede fecha. Até ao dia D!!!
ECD, este e o outro, aulas de substituição(pagas), tempos de de 90 minutos, divisão da classe em titulares e professores... tudo tem de ser negociado até ao dia D, terça feira.