20080416

Onde estão os documentos? Onde estão escritos e analisados esses números?

O Código do Procedimento Administrativo explica-nos como agir quando pretendemos saber algo que nos diz respeito. Assim, proponho que se peça à Plataforma ou a quem de direito que nos mostre os resultados do dia D: actas, minutas ... enfim, aquilo que lhes permitiu chegar à seguinte conclusão:
"(...) de acordo com dados ainda provisórios, mas que já consideram a larga maioria das escolas, os resultados da votação na Moção, nos cerca de mil locais em que se realizaram reuniões, foi aprovada em 89% dos estabelecimentos de ensino, tendo-a votado favoravelmente 86% dos professores e educadores que participaram no Dia D.(...)" (Mário Nogueira)
Francamente, eu não acredito nestes valores. E quero saber se estou enganada. Este assunto diz-me respeito enquanto professora e cidadã assim, pretendo ter acesso aos documentos onde a Plataforma se baseia.

Onde estão os documentos? Mostrem as contas![ler aqui também]

Acham que, com um e-mail e boa fé, a coisa se resolve?

7 comentários:

Anónimo disse...

Também o Estaline mostrou a boa fé quando assinou com Hitler o tratado de não agressão... Foi necesário correr muita tinta e morrerem muitos democratas e patriotas para que a verdade se soubesse.

Anónimo disse...

O Estaline não fez um acordo mas sim um "entendimento"... da coisa.

Humm? :(

Fernando disse...

De entendimento em entendimento andamos todos mal entendidos.

Anónimo disse...

Quem falou em Staline e Hitler?
a última vez que ouvi isso foi do grande camarada Barroso.

Anónimo disse...

Quem falou em Staline e Hitler?
a última vez que ouvi isso foi do grande camarada Barroso.

Paula disse...

Ó colegas: eu pessoalmente nem quero ver resultados de nada. Já ontem disse que na minha escola em vez das três reuniões marcadas houve uma onde 30 professores dos 120 que a escola tem aprovaram a moção por unanimidade e hoje, quando finalmente se aperceberam do verdadeiro significado do que tinham feito, estão todos arrependidos e uma que é mais sensível nem dormiu bem... para não pensarem que eu estou a pintar à pistola (isto de falar sem ter rosto tem esse perigo) digo já que se trata da E.B.2,3 Visconde de Juromenha na Tapada das Mercês. Se me desculpam a franqueza, por mais que nos doa chegar a certas conclusões, está tudo claro como água e só não vê quem não quer... temos material de sobra para ler: é o memorando, é a moção, é uma cartinha que eu hoje recebi da plataforma... também tenho pena, ou julgam que não? Mas eu não sou como as pessoas que quando caem no conto do vigário não apresentam queixa para os outros não ficarem a saber que eles foram enganados... eu barafusto. E nem sequer me sinto muito envergonhada: não fui eu que me enganei, enganaram-me.

Moriae disse...

http://www.fenprof.pt/?aba=27&cat=95&doc=3313&mid=115