20081006

Não acordem cheios de garra não ...

"(...) À semelhança do que se fez com os mega-departamentos curriculares e com os CFAEs, há uma clara intenção de proceder à fusão de agrupamentos de escolas. Se assim for, nenhum professor terá estabilidade. Pode estar no final da carreira, pode ser titular, pode estar no topo que isso de nada valerá. Em qualquer altura, pode ter de largar a sua escola e pôr-se a caminho de uma outra a 20 ou 30 quilómetros de distância. É isto que pode acontecer com o artigo 24º do projecto de diploma de alteração aos concursos de professores.(...)" (Ramiro Marques)
Ramiro Marques:
Paulo Guinote:

5 comentários:

Anónimo disse...

POR MIM, DECLARO AQUI E AGORA QUE IREI, SALVO MOTIVO DE FORÇA MAIOR!!!!!!!!!NÃO PRECISAMOS DE SINDICATOS PARA NADA! AFINAL, SOMOS OU NÃO UMA CLASSE PROFISSIONAL E ESCLARECIDA? VAMOS DEIXAR QUE NOS PONHAM A CANGA?
DIVULGUEM O MAIS POSSÍVEL!





>
> Olá amigos,
> Desta vez não vão ser 100 000 !!! Vamos ter um país inteiro a apoiar os professores e contestar o mais hipoócrita e traidor governo da história moderna.
> Vamos todos a Lisboa dia 15 de Novembro !!!
> Não confiemos mais em sindicatos, vamos mostrar sem qualquer rodeio quem são os verdadeiros professores.
> Entretanto vamos bloquear o processo de avaliação. Se todos colaborarem vai ser mesmo o fim desta palhaçada.
> Divulguem ! É agora !
>

O movimento está iniciado. Com ou sem sindicatos, os professores marcharão novamente pela sua dignidade e contra a palhaçada que este ministério quer instituir com esta avaliação.

Vamos mostrar a este Governo e a esta ministra que a nossa paciência ESTÁ ESGOTADA.

Queremos dar aulas…queremos que os nossos alunos aprendam e não queremos que eles saiam prejudicados com esta trapalhada que este ministério que impor.

Como diz o nosso hino…"contra os canhões, MARCHAR, MARCHAR".





DIVULGA

Pedro Castro disse...

Se nós não tratarmos das nossas vidinhas, este "pessoal", que nos governa, irá tratar das nossas vidinhas da forma que melhor lhes aprover!
Já demos o flanco durante três anos, e só lhes fizemos "comichão" na manifestação dos 100000.
Sócrates é desprovido de ideologia, não olhando a meios para atingir os fins da sua ambição pessoal e política.
A nós professores, elo mais fraco da cadeia dos funcionários públicos, ele não hesitará em mais uma vez nos imolar na praça pública se for mais uma vez necessário.
A brutal crise financeira que atravessamos, o facto consumado de que Sócrates já não conta com os votos dos professores, fará com que este endureça cada vez mais as condições de vida dos docentes.
Sócrates não cede a fracos, mas teme os fortes, logo devemos estar preparados para uma longa e dura luta de "guerrilha" se quisermos ter uma carreira com dignidade.
É altura de deixar de lado as nossas pequenas divisões, arregaçarmos as mangas e ir para frente numa luta sem quartel a este governo.
Este governo declarou-nos guerra desde o início do seu mandato e nós ainda não percebemos, ou não queremos perceber, que Sócrates não tem qualquer tipo de respeito para com os professores.
Quem propõe uma lei destas para os futuros concursos é cruel e desumano e sabe, conhecendo bem o adversário, que não teremos resposta à altura do ultraje que nos presenteia!
É altura de darmos a devida resposta!
Lá diz do ditado "quem não se sente não é filho de boa gente"

Moriae disse...

Pedro, nem lhe pedi autorização, que falta de educação ... vê algum inconveniente em ter publicado o seu comentário?

De qquer modo, aceite as minhas desculpas pelo lapso.

M.

ramiro disse...

MOriae!
Vou ter de te agradecer de novo.

Moriae disse...

LOL!
Ramiro nem digo nada! Mas é claro que é sempre bom ler a tua presença por aqui :)
Abraço,
M.