20081014

'Traídos 1…Traídos 2…Traídos…'

Normalmente, sentimos que estamos a ser traídos, mas quase nunca temos provas efectivas do acto ilícito. Quando a Plataforma assinou um tal de Entendimento que 100Mil Professores, de facto, não entendeu, não quisemos crer que fosse traição, pelo menos consciente e assumida! Deu-nos jeito pensar que eles eram ingénuos e que MLR lhes tinha conseguido dar a volta. Lá engolimos em seco, uns com mais dificuldade do que outros, e continuámos, serenamente, mas de olhos abertos, a tentar perceber as conquistas alcançadas com a união de toda uma classe social, a dos Professores! Conquistas que, diga-se, nunca chegaram! As injustiças mantiveram-se, a complexidade dos documentos raia o limite da loucura, o excesso de trabalho burocrático não é mensurável! Com a raiva nos dentes, vamo-nos arrastando, diariamente, para a escola na esperança de que alguém nos defenda, altere tanta asneira produzida em três anos e nos deixe trabalhar, voltando a olhar para os nossos alunos como a grande força que nos move. Só que, afinal, da primeira vez, a traição tinha sido mesmo traição! Assumida bem nas nossas barbas! Os interesses do país, dos nossos filhos, dos nossos jovens, não se coadunam com os timings políticos da FENPROF e, por sua vez, da Plataforma que dirige! O Entendimento não foi assinado ingenuamente! Foi, propositadamente! Como é possível? E não é que vão mantê-lo mesmo CONTRA a grande maioria dos professores? É assim que a 2ª traição vem a caminho! Desta vez, inequivocamente! A Plataforma está contra a manifestação dos professores! Vão assumi-lo, não tivéssemos nós dúvidas, oficialmente, amanhã, dia 15 de Outubro, pelas 17H, quando a Plataforma Sindical anunciar ao país que a SUA manifestação é dia 7 de Novembro, ou sei lá quando, e que não subscreve a nossa, já convocada legalmente, a do dia 15 de Novembro! Traídos uma vez…traídos segunda…alguém vai esperar para assistir à terceira?! Se nas escolas, os grelhados já não se aguentam, o cheiro a esturro desta Plataforma é inqualificável! É nestas alturas que se percebe (parte, apenas parte…) dos interesses daqueles a quem, mesmo em época de crise, pagamos religiosamente as nossas quotas… E a FENPROF até cobra à percentagem! Permitiria Mário Nogueira um lugar que não fosse na primeira fila?! Ele é o Protagonista! Ele é que sabe! Pior…ele é que controla a classe docente! Como poderia participar numa manifestação convocada por outros, ainda que esses outros sejam aqueles que diz representar? E os outros sindicatos? Todos contra a manifestação, porquê?! Ao longo dos anos, fui assistindo à irritação da FENPROF sempre que surgia um novo sindicato de professores que, de alguma maneira, se afirmava contra as políticas educativas defendidas sob o lema “ Carreira Igual, Salário Igual”! Mas foram surgindo e são catorze, dizem! Dividiram-se, roubaram sócios uns aos outros, criticaram as formas de agir de uns e de outros, até surgir o milagre conhecido de MLR que deu origem a uma Plataforma Sindical capaz de reunir sindicatos com os objectivos mais díspares entre si! Aqueles que lutaram, anos a fio, contra a FENPROF acabam por eleger a própria FENPROF como seu porta-voz! Muito bem, ou muito mal, aconteceu! O momento era, e é, de união e não houve alternativa! Mas, afinal, por que se demarcam agora catorze sindicatos de professores de uma manifestação marcada por Professores? Há um denominador comum a todos eles: têm medo! Estão com medo! Medo de perder o protagonismo e, sobretudo, medo que novos sindicatos venham a caminho! E, possivelmente, até vêm! E se tiverem mérito serão bem-vindos! E se defenderem os interesses dos professores serão bem-vindos! E se conseguirem reunir 143Mil professores, melhor ainda! E então, se forem capazes de não trair os professores, será ouro sobre azul! Dia 15 de Novembro, os professores devem tocar a reunir e marchar, novamente, até Lisboa! De carro, de autocarro, de comboio…a pé, se preciso for! Alguém precisa da Plataforma para ir até Lisboa?! Por favor, organizem-se! Na escola, com os amigos, os filhos, a família, os vizinhos! Mas vão! E não para se manifestarem contra a Plataforma! Esqueçam-nos! Vão, sobretudo, para mostrar uma coisa que, na minha opinião, é muito importante: mostrar à Senhora Ministra que já não basta que mande a FENPROF mandar nos Professores! Já não basta que os sindicatos se juntem todos numa Plataforma Amiga para calar os professores e controlá-los! Os professores já não se deixam mais controlar! E querem que o país inteiro, no dia 15 de Novembro, o perceba claramente! Dia 15, por nós e por Portugal, diremos Não à política educativa do governo e aos interesses sindicais daqueles que são sindicalistas, mas não são, com certeza, Professores! Os Professores, mesmo que sindicalistas, esses, certamente, estarão lá!

Vasco Luís (pseudónimo de autor devidamente identificado)

4 comentários:

Anónimo disse...

Já ontem exprimi esta ideia noutro blog. Quantos são os professores? 150/200.000? Mais ? E com os conjuges?300.000 ? Então porque não criar um movimento, legalizá-lo e com listas constituídas apenas por professores e com um programa apenas sobre o ensino apresentar candidatura às legislativas ? 2 ou 3 deputados que certamente iriam ser eleitos em Lisboa/Porto pelo menos iriam fazer a diferença. Dia 15 é um dia óptimo para recolher as assinaturas necessárias. De que estamos à espera ? O pessoal queixa-se de que não há alternativas entre votar PS ou PSD, passava a ter uma !

Moriae disse...

Caro anónimo,

Não sou apologista de manobras e nesse caso, não vejo qualquer viabilidade.

Neste momento as pessoas dividem-se em: estou com os professores ou estou com a manada.

Ou seja, não tenho qualquer fé, prefiro morrer espezinhada, não desisto e acho que neste país há mais dois ou 3 como eu.

Puta de vida!
E ... só me dá vontade de rir qdo olho para a cara do idiota do sr. Sousa e da 'coitada' da MLR ... OK, não sou perfeita :/

Maria de Lurdes Rodrigues disse...

Ai m'lher, ficaste tão nervosa!
Até já te dá para inventares anónimos?

Anónimo disse...

Não é uma manobra. Todos (mas mesmo todos) os sindicatos estão comprados com benesses, tipo cursos de formação da treta sendo que as verbas são ou não disponibilizadas conforme as atitudes. Quem não se lembra do celebre caso UGT com Fundos Europeus que foi abafado, e foi reactivado (tipo aviso) numa fase em que estavam a perder o controle sobre os sindicatos. Por isso, é altura dos cidadãos aprenderem a jogar o "xadrez deles". Se os professores são 200 mil porque não eleger alguém que defenda a classe ? Porque ir dar votos a partidos que constantemente nos lixam? Nas próximas eleições para onde vão os nossos votos ? Para o PSD tirar o PS e 4 anos passados votarmos novamente PS para tirar o PSD? Isso fazemos há quase 35 anos, com os resultados que todos sabemos. Não vamos votar, ou vamos votar em branco ? E eles ralados.. os tachinhos continuam. Por isso a solução seria a classe unir-se e eleger deputados-professores. Pessoal para listas não faltarão em todos os Distritos. É utópico, mas deixem-me sonhar que os votos dos professores e familias serão bem entregues.