20081214

Sugestões de um colega

“Os professores poderão não conseguir, por falta de tempo, atribuir as notas a todos os alunos nas reuniões de avaliação. Assim, se as reuniões de avaliação tiverem a duração de 120 minutos, numa turma de trinta alunos, com dez professores a avaliar, se cada professor demorar 10 minutos a dissecar cada caso, serão dadas notas apenas a 10 alunos por reunião. O tempo restante será para fazer a acta, com todos os professores presentes, como é de lei.
A acta e as pautas ao serem entregues ao C. E., com as notas dos 10 alunos avaliados, este terão de convocar outra reunião para 48 horas depois.
No período de Natal, será muito difícil fazer três reuniões por turma. As reuniões de avaliação restantes passarão para Janeiro e terão de ser feitas às quartas-feiras à tarde.
Esta situação, ao verificar-se no primeiro período, poderá repetir-se nos restantes períodos. Logo, os exames poderão só ocorrer em Novembro.
Esta conjuntura não agradará a nenhuma das partes (professores, alunos, pais e ministério) e poderá levar a tutela a criar condições para resolver o impasse.

Já agora...divulgue por favor também isto:

Devíamos fazer alguma coisa em memória do professor que morreu sem assistência médica dentro da Escola (e possivelmente com o contributo da situação escolar).

Sugestão: reuniões gerais nas escolas para estudar a forma de acção durante a avaliação. Outras acções que fossem feitas poderiam ter o nome do colega falecido. Não podemos calar a morte de um colega,

abraço” (*****)

2 comentários:

professora disse...

Aplaudo a ideia.

JFrade disse...

A proposta parece tentadora mas recordo que os professores não têm férias de Natal mas apenas "interrupção de actividades lectivas". Daí resulta que, descontando sábados, domingos e feriados (25/12 e 01/01) todos os dias são DIAS ÚTEIS logo dias em que devemos estar nas escolas se se justificar. Ou estarei enganado?